Hélio Rubens acusa CBB de tirar Franca da Liga Sul-Americana

Segundo ele, a entidade abriu mão de uma vaga do Brasil na Liga para que equipe não aderisse à ACBB

Heleni Felippe, O Estado de S. Paulo

21 de fevereiro de 2008 | 19h37

O técnico do Unimed/Franca, Hélio Rubens, acusou a Confederação Brasileira de Basquete (CBB) de alterar o regulamento do Campeonato Nacional (após 40 jogos) para impedir a participação de sua equipe na Liga Sul-Americana. Segundo ele, a entidade abriu mão de uma vaga do Brasil na Liga, em favor de um time da Venezuela, como forma de pressão para ver se Franca recuava da idéia de apoiar e liderar a criação da Associação Brasileira de Clubes de Basquete (ACBB) e da Supercopa, torneio paralelo ao Nacional que começa no dia 28. "Lamento profundamente que a CBB não tenha respeitado o direito adquirido de Franca, que ganhou na quadra a vaga na Liga. Abrir mão de uma vaga que era de um time brasileiro para a Venezuela? O modelo implantado na CBB é ditatorial, conservador e totalmente furado", afirmou Hélio Rubens. "O Brasil está mesmo desacreditado." Hélio disse que a liga independente da Europa tem 50 anos e a da Argentina 20, para afirmar que a CBB vai acabar aceitando a organização dos clubes para "não ficar na contramão do que ocorre no mundo". Nesta quarta, ele comandou Franca na conquista do 11.º título paulista da equipe. A CBB divulgou no seu site a nota oficial nº 34, de 14 de fevereiro, em que altera o regulamento do seu torneio, decisão atribuída à Comissão Executiva dos clubes do Nacional. A nota informa que o artigo estava mal redigido e que, além de ter conseguido vaga no Nacional do ano anterior, o time tem de estar inscrito no Nacional do ano vigente. Todos os times que não estão inscritos no Nacional de 2008 ficam automaticamente fora da Liga, ainda que tenham garantido vaga em 2007. Isso exclui Franca e Paulistano, por exemplo, classificados antes do sétimo colocado do ano passado, o Flamengo, que foi o indicado da CBB para o torneio. RIO CLARO FORAA Ulbra, que foi vice-campeã paulista numa parceria com São Bernardo, muda na segunda-feira para Rio Claro e vai disputar apenas o Nacional da CBB - estréia no dia 27, com o Iguaçu Basquete (o campeonato já teve cerca de dez rodadas e o time que estava disputando o Paulista vai entrar atrasado). Inicialmente a Ulbra pretendia disputar também a Supercopa, mas terá de abrir mão da competição organizada pelos clubes, segundo o diretor Quique Barrera. "O contrato que a CBB tem com a SporTV do Nacional não permite que o time dispute outro torneio a não ser o Estadual." A Ulbra/Rio Claro já havia acertado que jogaria a Supercopa e estava inclusive relacionada na tabela.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.