Reprodução/Facebook
Reprodução/Facebook

Hospital desmente morte de jogador de basquete no DF

De acordo com a chefe do pronto-socorro, o estado do paciente continua grave, mas estável na UTI

FELIPE ROSA MENDES, Agência Estado

20 de julho de 2012 | 00h07

O Hospital de Base de Brasília desmentiu na noite desta quinta-feira a morte de David Henrique Conrado Meira, atleta atingido na semana passada por uma tabela de basquete, que despencou sobre seu pescoço durante um treino. Meira, de 19 anos, integra a equipe sub-22 do Brasília.

De acordo com a médica Rosângela Queiroz, chefe do pronto-socorro, o paciente segue em estado grave, mas estável na UTI. Ela negou a informação de que o atleta teria sofrido morte cerebral no início desta noite, segundo informou a imprensa local. "Estive com o paciente há poucos momentos e o quadro permanece o mesmo. Não há qualquer falência de órgãos", garantiu.

Rosângela disse não saber qual a origem da notícia equivocada sobre a morte do atleta. "Estamos perplexos. Essa notícia não saiu aqui do hospital. É mentirosa. Foi uma irresponsabilidade de quem divulgou. Pode ser um trote ou até uma má interpretação", declarou.

A médica informou ainda que a própria família fez uma visita ao atleta nesta noite e pôde atestar seu quadro estável. O hospital, que não chegou a emitir boletim médico nesta noite, deve se manifestar na manhã desta sexta-feira.

Meira está internado no Hospital de Base desde o dia 13. O acidente ocorreu quando ele fez uma enterrada e se apoiou na cesta. Toda a estrutura veio abaixo, caindo sobre seu pescoço. A Polícia Civil abriu inquérito para averiguar se houve negligência na manutenção da quadra e da cesta, um equipamento apto a suportar impactos de mais de 200 quilos e movimentos bruscos de jogadores nas enterradas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.