Reed Saxon/AP
Reed Saxon/AP

Ídolo do Los Angeles Lakers na NBA, Elgin Baylor morre aos 86 anos

Astro faleceu de causas naturais e estava na companhia de sua esposa e sua filha

Redação, O Estado de S.Paulo

22 de março de 2021 | 21h40

A cidade de Los Angeles está de luto. Eleito para o Hall da Fama do Basquete, Elgin Baylor morreu nesta segunda-feira aos 86 anos. Ele ficou marcado como um dos maiores jogadores da história dos Lakers, equipe a qual defendeu de 1958 e 1971, e também como gerente-geral dos Clippers de 1986 a 2009. Baylor morreu de causas naturais e estava cercado por sua esposa e sua filha.

"Elgin foi o amor da minha vida e meu melhor amigo", disse Elaine Baylor, esposa do ex-jogador, em comunicado oficial emitido pelos Lakers. Considerado um dos melhores jogadores de todos os tempos do basquete como um todo, Baylor foi eleito para o All-Star Game 11 vezes, e dez vezes para o melhor time da NBA, em 14 temporadas como jogador profissional. 

Na temporada 1958/1959, ele foi eleito como o Calouro do Ano, assim como o MVP (Jogador Mais Valioso) do All-Star do mesmo ano. Por toda sua carreira, Baylor manteve impressionantes médias de "double-double", com 27,4 pontos e 13,5 rebotes por atuação.

Com os Lakers, o astro foi de Mineápolis para Los Angeles, quando a franquia mudou de cidade em 1960. Ao todo, participou de oito finais da NBA, mas nunca conseguiu conquistar um título. Em três ocasiões, perdeu uma série de sete jogos para o Boston Celtics, que nesta época teve anos memoráveis. Esta é talvez a rivalidade mais tradicional da história da liga, perdurando até hoje.

"Elgin foi A superestrela de sua era, seus diversos feitos falam por si só", disse Jeanie Buss, dona do Los Angeles Lakers. "Ele foi um dos poucos jogadores cuja carreira se mudou de Mineápolis para Los Angeles. Mas, ainda mais importante, ele foi um homem de integridade incrível, inclusive servindo aos Estados Unidos como reservista, jogando para os Lakers apenas de finais de semana", lembrou.

Baylor tem sua camisa número 22 aposentada pela franquia da Califórnia, além de ter uma estátua em sua homenagem na entrada do Staples Center, casa da equipe com quem fez história. Dentre seus maiores feitos, ele é o primeiro jogador a marcar 70 pontos em uma partida. Contra o New York Knicks, em 1960, anotou 71. Este permaneceu o recorde de pontuação de um Laker em um jogo até que Kobe Bryant quebrou a marca quando marcou 81 sobre o Toronto Raptors em 2006. Baylor se aposentou cedo, na temporada 1971/1972, por problemas no joelho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.