Israel se candidata a receber Mundial de Basquete de 2018

Federação Internacional de Basquete reconhece candidatura de país que, apesar dos conflitos quer sediar campeonato feminino

Estadão Conteúdo

03 de dezembro de 2014 | 16h09

Em meio a um clima tenso com diversos países do Oriente Médio, Israel quer organizar o Mundial Feminino de Basquete de 2018, conforme revelou nesta quarta-feira. A candidatura foi oficializada perante a Federação Internacional de Basquete (FIBA), que não explicou quando a sede do torneio será escolhida.

Por conta dos conflitos com os palestinos, Israel perdeu o direito de sediar, em agosto do ano passado, o Campeonato Mundial Júnior de Maratonas Aquáticas, que deveria acontecer em Eilat. Houve forte pressão para a mudança no local do evento, uma vez que nadadores e dirigentes temiam pela segurança em Israel.

A Associação de Basquete de Israel afirma que o Mundial Feminino seria o maior evento esportivo já sediado no país, que no ano passado organizou o Europeu Sub-21 de Futebol e a cada quatro anos recebe as Macabíadas, como são chamadas a Olimpíada disputada apenas por comunidades judaicas.

Pela proposta de Israel, os jogos do Mundial seriam realizados nas cidades de Jerusalém, Tal Aviv, Haifa e Holon. Quando da realização do Europeu Sub-21, diversos movimentos pediram boicote ao torneio. Até mesmo um grupo de jogadores profissionais lançou manifesto contra a escolha por Israel.

Tudo o que sabemos sobre:
basqueteIsraelMundial de Basquete

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.