Divulgação
Divulgação

Iziane supera polêmicas e volta à seleção de basquete após três anos

Cestinha da LBF é convidada para os treinos em Campinas

Estadão Conteúdo

18 de junho de 2015 | 18h46

Cestinha da mais recente edição da Liga de Basquete Feminino (LBF), a ala Iziane vai receber mais uma chance na seleção brasileira. Nesta quinta-feira, a Confederação Brasileira de Basquete (CBB) informou que a jogadora foi convidada a participar dos treinos da equipe que treina em Campinas, vai passar por avaliações da comissão técnica, e pode disputar a Copa América de agosto, no Canadá, valendo também como Pré-Olímpico.

Iziane parecia ter desperdiçado sua última chance na seleção brasileira quando foi cortada às vésperas dos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012, por indisciplina - ela levou o namorado para o quarto da concentração, na França. Por conta do corte, o técnico Luis Cláudio Tarallo levou um time desfalcado de uma atleta à Olimpíada.

Àquela época, Iziane só havia voltado à seleção porque convenceu a então diretora de seleções da CBB, Hortência, de que havia amadurecido desde que, no Pré-Olímpico de 2008, recusou-se a entrar em quadra durante uma partida. Ao desrespeitar o técnico Paulo Bassul, levou quatro anos para ter outra chance.

Agora é Luiz Zanon quem quer dar uma oportunidade para a ala, única jogadora da posição que pode fazer a diferença para o Brasil no Pré-Olímpico e na Olimpíada. "O convite é para ela ser avaliada nesse período de treinamento. Havíamos conversado no início do mês sobre essa possibilidade. Expliquei o plano de trabalho, ela gostou e se mostrou disposta em participar", contou Zanon.

De acordo com o treinador, a jogadora do Maranhão Basquete (ela montou a equipe na sua terra natal) recebeu um planejamento para readquirir melhor condição física em São Luis antes de se apresentar à seleção no interior de São Paulo.

"Aqui em Campinas faremos uma avaliação física, técnica e pessoal para vermos as condições técnicas e a possibilidade de ela ser inserida no processo pré-olímpico. Meu objetivo é dar para a Iziane uma oportunidade que ela nunca teve desde que assumi o comando da equipe. Espero que ela corresponda a essa oportunidade."

Iziane não está nos planos para os Jogos Pan-Americanos de Toronto (Canadá), quando o treinador já não vai contar com Nádia, Erika, Clarissa e Damiris, que estão na WNBA, além da ala Tati, machucada.

Para a posição de Iziane, o treinador conta com as jovens Isabela Ramona (20 anos), Izabella Sangalli (20), Leila (24) e Patty (24), além de Jaqueline (29). Dessas, a que mais pontuou na LBF foi Jaqueline, com média de 13,4 pontos por jogo. Iziane teve média de 20,6. Das demais, só Leila (10,6) passou de 10.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.