Janeth investe na criançada do ABC

Janeth Arcain, uma das três maiores estrelas da WNBA, a liga norte-americana feminina de basquete, inaugurou o Centro de Formação Esportiva que leva seu nome no Clube Panelinha de Santo André, que já está trabalhando com mais de 60 crianças de 7 a 14 anos de idade e que deve acolher outras 290. Os planos de ensinar e revelar novos talentos para o basquete vêm desde 2000. "Não havia dado certo ainda porque eu estava na correria e logo em seguida fui para o Rio de Janeiro jogar no Vasco", conta Janeth, fora das quadras desde setembro por causa de uma tendinite no joelho direito. "Consegui acertar as coisas e tive apoio de muita gente. Reformamos a quadra, pintamos, e ficou desse jeitinho", apontou a jogadora, que está tocando o projeto sem o apoio da prefeitura, com duas professoras, uma preparadora física e uma nutricionista. Sempre à frente do projeto, no dia da inauguração a atleta fez questão de entregar o uniforme para cada criança que chegava. Detalhista, preocupou-se com cada um dos pequenos esportistas na execução dos exercícios: posicionamento de mãos, pernas, encaixe da bola nas mãos. A sensação de cuidar de todas aquelas crianças? "É como começar um jogo - dá um friozinho na barriga até se acostumar, mas depois tudo vai bem." "Essa primeira aula foi mais para matar a ansiedade - a minha e a deles. Eu queria ter tido uma oportunidade como a deles, que podem começar cedo. Comecei tarde, aos 13 anos", explica Janeth. Por enquanto, o Centro de Formação Esportiva cobra uma taxa de manutenção de R$ 35, mas a idéia é tornar o trabalho gratuito: "Estamos procurando um patrocinador que se interesse por esse trabalho social. Talvez seja o mesmo parceiro que também procuro para a equipe adulta que quero montar em São Bernardo." Planos vão além do Centro - A jogadora também está tocando um projeto para montar um time que deverá disputar a Copa Brasil, no início de março: "Em outubro, o pessoal de São Bernardo entrou em contato comigo para montar uma equipe. Estou acreditando que esse patrocínio vai chegar. Estou usando meu nome para ajudar a formar uma equipe, mas nela serei apenas jogadora, nada de dirigente." Caso não consiga formar o time, Janeth ficará parada até maio, quando embarca para Houston, onde foi tetracampeã pelos Comets. "No último fim de semana recebi uma proposta da Espanha. Antes disso tinha sido convidada por outras duas equipes paulistas. Jogando na WNBA posso me dar ao luxo de esperar respostas de patrocinadores. Posso dizer que quero fazer um trabalho social, em que vamos às escolas do ABC para incentivar as crianças." Aos 32 anos, Janeth pretende jogar outros cinco. De qualquer maneira, seu objetivo é continuar em quadra: "Quero trabalhar como técnica ou dirigente. Se bem que ser dirigente é bem mais fácil do que estar atuando. Amo trabalhar com crianças e estou muito satisfeita do que consegui fazer hoje."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.