Jogador norte-americano de basquete morre em seu 1º treino em clube da Macedônia

Cameron Moore tinha chegado à cidade de Ohrid um dia antes, para jogar por um clube local

Agência Estado, Estadão Conteúdo

05 Outubro 2016 | 14h38

Um jogador de basquete morreu na Macedônia em seu primeiro treino com a camisa do clube local AV Ohrid. A informação da morte do norte-americano Cameron Moore, de 25 anos, foi confirmada nesta quarta-feira pelas autoridades do país, que revelaram que o atleta permaneceu apenas um dia na cidade de Ohrid antes de falecer.

"Isso é uma tragédia. Nós ainda sequer havíamos marcado um horário para encontrá-lo propriamente", comentou o representante legal do clube, Ivo Markoski, em entrevista à agência The Associated Press. "Ele estava em Ohrid por somente 24 horas. Nós o deixamos descansar depois do desembarque e a tragédia aconteceu logo no primeiro dia de treinos."

De acordo com Markoski, Moore desembarcou na cidade de Ohrid na última segunda-feira, vindo de Venice, na Itália. O jogador foi submetido a uma bateria de exames médicos e participava do primeiro dia de treinos junto à nova equipe quando sofreu um colapso e morreu. A causa da morte ainda não foi revelada.

"Nós nunca vivemos uma tragédia dessa proporção. Nós estamos totalmente abalados por sua morte", declarou o técnico do AV Ohrid, Marijan Boshalevski. De acordo com ele, o colapso sofrido por Moore aconteceu nos últimos 15 minutos do treino de terça-feira, ele chegou a ser encaminhado a um hospital, mas sua morte foi confirmada nesta quarta.

Moore era um ala revelado pela Universidade de Alabama-Birmingham (UAB), onde marcou época. "A família UAB está de luto pela perda de um ser humano extraordinário, cuja vida foi levada muito cedo. Cameron Moore foi um dos primeiros estudantes que conheci quando cheguei a Birmingham em 2012 e pude sentir imediatamente sua paixão pelo basquete da UAB", lamentou o técnico da universidade, Robert Ehsan.

Mais conteúdo sobre:
Macedônia Itália Basquete Cestobolista

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.