Divulgação/LNB
Divulgação/LNB

Jogo das Estrelas do NBB vira ação social e Liga Nacional de Basquete quer arrecadar R$ 100 mil

Doações podem ser feitas pela plataforma Play For a Cause e vão ajudar quatro entidades escolhidas pelas capitães no evento nos dias 19 e 20 de março, no Tijuca Tênis Clube

Marcius Azevedo, O Estado de S.Paulo

16 de março de 2021 | 10h00

A manutenção do Jogo das Estrelas do Novo Basquete Brasil, com sua transferência de São Paulo para o Rio de Janeiro por causa das restrições impostas pelo governador João Doria devido ao aumento de casos e mortes pelo novo coronavírus, não é baseado na expressão o show não pode parar. A Liga Nacional de Basquete vai utilizar o evento nos dias 19 e 20 de março no Tijuca Tênis Clube para realizar uma importante ação social.    

O tradicional NBB Brasil x NBB Mundo foi substituído por quatro mini-jogos, com quatro equipes - NBB Brasil (#TimeBrabo), NBB Brasil (#TimeMarquinhos), NBB Mundo (#TimeShamell) e NBB Novas Estrelas (#TimeGeorginho). Cada time vai representar uma instituição escolhida por seu capitão, com o valor total arrecado no evento sendo repassado para cada uma delas. 

A expectativa da LNB é arrecadar aproximadamente R$ 100 mil em doações. A entidade representada pelo time campeão do Jogo das Estrelas levará 70% do total, com os 30% restantes divididos entre as outras três. Tudo será feito pela plataforma Play For a Cause, parceira do evento, no nbb.playforacause.com.br.

Alex escolheu a Creche Maria Ribeiro, em Bauru, cidade onde atua. A instituição funciona desde 1951 e cuida de crianças de 1 a 7 anos de famílias com baixa renda, moradoras do bairro Vila Falcão e regiões próximas.

Marquinhos, atleta do Flamengo, optou pelo Hospital Municipal Ronaldo Gazolla, no Rio, que auxilia na oxigenação de toda rede hospitalar, liberando leitos de internação para unidades de urgência e emergência do município. O hospital disponibiliza 269 leitos, divididos em 124 de clínica médica, 18 de Centro de Tratamento Intensivo, 10 de Unidade Intermediária, 15 de Saúde Mental, 20 leitos de clínica cirúrgica, 20 UTI e UI Neonatal, além de 62 leitos de maternidade.

Inaugurado em 1958, o Hospital Infantil Darcy Vargas foi escolhido por Shamell, jogador do São Paulo. O local é referência em atendimento pediátrico de alta complexidade, atuando nas áreas de oncologia, hematologia, nefrologia, cirurgia pediátrica, urologia e pediatria geral.

Companheiro de Shamell no São Paulo, Georginho optou pelo Hospital Santa Marcelina. Com 59 anos de atuação, é a principal referência hospitalar da Zona Leste de São Paulo, com estrutura comparável aos melhores centros médicos do País. São mais de 700 leitos para atendimento de convênios, particular e pelo Sistema Único de Saúde (SUS), sendo 111 deles voltados à Unidade Terapia Intensiva (UTI). 

"Não seria sensato fazer uma festa em um período tão conturbado na questão da saúde. A forma que nos encontramos foi transformar o evento em uma ação social. Você perde o brilho das pessoas nas arquibancadas, das ativações, das brincadeiras em quadra, mas entra outro componente, que é a nossa responsabilidade. Vamos tentar levar um pouco de alento para aqueles que mais precisam neste momento", afirmou Sérgio Domenici, superintendente e CEO da LNB.

"Estamos em um ano muito atípico. A iniciativa da LNB e da Associação dos Jogadores de fazer o Jogo das Estrelas com o intuito de ajudar pessoas que estão passando por dificuldades mostra que estamos muito conscientes e preocupados com tudo que vem acontecendo. Acho que é uma bela maneira de ajudar diretamente essas pessoas com dificuldades", afirmou Guilherme Teichmann, presidente da Associação dos Atletas Profissionais de Basquete do Brasil (AAPB).

O Jogo das Estrelas, segundo explicou Domenici, terá um rigoroso protocolo de combate à covid-19, similar ao utilizado pela LNB no NBB. A entrada no Tijuca Tênis Clube só será liberada para as pessoas envolvidas diretamente com o evento. "O modelo se provou um sucesso, com uma taxa de contaminação pequena em comparação com outras ligas", afirmou o superintendente e CEO da LNB, citando que os veículos de imprensa terá de realizar um cobertura virtual.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.