Twitter/ Federação Italiana
Twitter/ Federação Italiana

Jogos do basquete italiano terão uma semana de luto pela morte de Kobe Bryant

Um minuto de silêncio será respeitado nas partidas de todas as categorias

Redação, Estadao Conteudo

27 de janeiro de 2020 | 16h00

A Federação Italiana de Basquete decretou, nesta segunda-feira, uma semana de luto pela morte de Kobe Bryant. Um minuto de silêncio será respeitado em todos os jogos de todas as categorias.

"É um pequeno gesto, mas sincero e merecido, para homenagear a vida e a memória de Kobe Bryant, um campeão absoluto que sempre teve a Itália em seu coração", disse o comunicado da entidade. "Kobe estava e sempre estará ligado ao nosso país."

Kobe Bryant viveu na Itália dos 6 aos 13 anos de idade, enquanto seu pai, Joe Bryant, jogou por várias equipes italianas. Ele voltou para a Pensilvânia, onde nasceu, para cursar o Ensino Médio. Kobe falava italiano fluentemente e costumava dizer que era um "sonho" jogar no país.

Esse sonho quase se tornou realidade em 2011, quando Bryant chegou a negociar com o Virtus Bologna, mas não chegou a um acordo. "Perdemos um amigo", disse uma manchete de primeira página no Gazzetta dello Sport, o principal jornal esportivo da Itália.

Kobe Bryant morreu no domingo com sua filha de 13 anos, Gianna, em um acidente de helicóptero perto de Calabasas, Califórnia. Ele tinha 41 anos. Em 20 temporadas (1996 a 2016) na NBA, o astro atuou 18 vezes no Jogo das Estrelas, venceu cinco campeonatos pelo Los Angeles Lakers e se tornou um dos maiores jogadores de basquete de todos os tempos.

"Todos os jogadores da NBA são importantes, porque são lendas, mas ele é particularmente importante para nós, porque conhecia a Itália tão bem, tendo morado em várias cidades aqui", disse o presidente da Giovanni Petrucci, presidente da federação italiana. "Ele tinha muitas qualidades italianas. Ele falava italiano muito bem e até conhecia a gíria local."

Pistoia, uma das equipes que Joe Bryant jogou, colocou uma mensagem nas redes sociais com uma foto de Kobe Bryant durante uma recente viagem à cidade da Toscana. "Nós o vimos brincar no PalaCarrara (ginásio da cidade) durante o intervalo dos jogos de Joe, seu pai", relembrou. "Ele tinha um forte vínculo com a cidade de Pistoia e há alguns anos veio nos visitar. Que a terra descanse levemente em você, Kobe."

O técnico italiano Ettore Messina trabalhou com Bryant como assistente do time dos Lakers. "Ele era um sobrenatural", afirmou o técnico atual do Olímpia Milano. "Ouvi-lo falar e brincar na nossa língua e lembrar quando seu pai jogou aqui e ele era um garoto que atraiu muitas pessoas para a NBA", disse Messina.

"Ele também estava sempre muito atento para ajudar os jogadores italianos que chegavam à NBA, um mundo tão difícil e competitivo. Ele fez isso comigo quando cheguei ao Lakers e ainda sou muito grato a ele por isso. É muito triste que sua família tenha sido devastada assim."

Tudo o que sabemos sobre:
basqueteKobe Bryant

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.