Divulgação/CBB
Divulgação/CBB

José Neto fecha com equipe masculina de Angola, mas continua na seleção feminina

Treinador vai comandar o Atlético Petro, de Luanda, na próxima temporada

Redação, O Estado de S.Paulo

01 de setembro de 2020 | 10h50

O técnico da seleção brasileira feminina de basquete, José Neto, vai trabalhar novamente no masculino. O treinador fechou acordo para comandar o Atlético Petro, de Luanda, em Angola, na próxima temporada. A Confederação Brasileira de Basketball informou que ele vai conciliar os trabalhos e continua no projeto disputar os Jogos de Paris, em 2024. 

"Participar de competições de alto nível é sempre uma excelente oportunidade de aprendizado, aprimoramento, execução, enfim, competir faz você melhorar. Assim como é muito importante para as jogadoras da seleção brasileira estarem em atividade mesmo quando não há competições pela seleção, não é diferente com o treinador", afirmou José Neto.

"No início do nosso trabalho com a seleção feminina, tivemos uma sequência de quatro competições seguidas em apenas sete meses, durante os quais também trabalhamos intensamente na implementação da metodologia de trabalho. O foco principal foi o de iniciar este projeto de reestruturação do basquete feminino brasileiro. A possibilidade de assumir um clube em caráter concomitante com a seleção sempre foi uma opção aberta e encarada com naturalidade pela CBB", acrescentou o treinador.

O Petro é um dos clubes mais populares de Angola e um dos maiores vencedores do país. O objetivo da equipe é disputar a Basketball African League, uma das competições mais importantes do continente, organizada em parceria pela NBA e a FIBA. "Estamos todos ansiosos por esse desafio", disse José Neto,  que vai levar para o Petro o preparador físico Diego Falcão, com quem trabalha há 14 anos.

Diretor executivo da CBB, Marcelo Sousa, o Pará, elogiou o treinador. "Desejamos toda sorte ao José Neto, que segue conosco no projeto da Seleção Brasileira feminina. É uma oportunidade que ele decidiu abraçar e desde o início do nosso compromisso, já era público a possibilidade dele assumir um clube paralelamente à seleção."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.