Divulgação
Divulgação

Kings apresenta George Karl, seu 3º técnico nesta temporada

Dono de mais de 1.100 vitórias na NBA, treinador assume o desafio de reerguer a equipe de Sacramento, ao suceder Corbin e Malone

Estadão Conteúdo

18 de fevereiro de 2015 | 09h05

Depois de mais de 1.100 vitórias, de disputar um final da NBA e ser eleito o treinador do ano na sua última temporada no Denver Nuggets, George Karl considera que ainda tem metas a alcançar na liga. Assim, assumiu o comando do Sacramento Kings.

Karl deixou um trabalho em que se sentia cômodo, como comentarista de TV, para dirigir uma das piores equipes da NBA, o Kings, o segundo time que acumula mais derrotas na liga durante as últimas nove temporadas. "Amo este esporte", disse. "Queria mais uma oportunidade de buscar um título".

O treinador se incorpora a uma equipe que está muito longe de pensar em ser campeã. O Kings não avança aos playoffs nem tem uma campanha com ao menos 50% de aproveitamento desde a temporada 2005/2006.

Nesta temporada, Karl é o terceiro treinador do Kings. Substitui Tyorne Corbin, que caiu apenas dois meses depois de substituir o demitido Michael Malone.

A segunda mudança de treinador aconteceu após o gerente-geral Pete D'Alessandro ter declarado que Corbin permaneceria no cargo até o fim da temporada. Após somente sete vitórias em 28 jogos com Corbin, depois de um começo com 11 triunfos e 13 derrotas com Malone, D''Alessandro buscou um treinador a quem conhecia quando trabalhou no Nuggets.

"Chegou a um ponto em que disse, conheço quem quero que seja o treinador da equipe, e está disponível", explicou D'Alessandro. "Às vezes você tem que reconhecer que o que fez estava errado".

Karl vinha observando o Kings como parte do seu trabalho como comentarista na ESPN e considera que o time perdeu a confiança nas últimas semanas. Ele quer dedicar aos últimos 30 jogos da temporada para recuperar uma atitude positiva no seu elenco.

"Penso que há talento suficiente nesta equipe para ganhar, para que possamos ser sólidos e jogar bem basquete todas as noites", afirmou. "Isso vai exigir algum tempo".

A última vez que Karl dirigiu um time foi na temporada 2012/2013, quando ganhou o prêmio de treinador do ano pelo Nuggets, mas acabou sendo demitido após a equipe ser eliminada pelo Golden State Warriors na primeira rodada dos playoffs.

O Nuggets avançou aos playoffs nos nove anos sob o comando de Karl, perdendo a final da Conferência Oeste em 2009 para o Los Angeles Lakers. Em 1996, com o Seattle Supersonics, foi batido pelo Chicago Bulls na final da NBA.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.