Derick E. Hingle/USA Today Sports
Derick E. Hingle/USA Today Sports

Kobe Bryant morre aos 41 anos em acidente de helicóptero na Califórnia

Ex-jogador do Los Angeles Lakers tinha o hábito de fazer viagens com a aeronave; filha de 13 anos e mais sete pessoas são vítimas

Sergio Neto, especial para o Estado, O Estado de S.Paulo

26 de janeiro de 2020 | 16h51

Um dia depois de ser ultrapassado por LeBron James na lista de maiores cestinhas da história da NBA, Kobe Bryant sofreu um acidente fatal de helicóptero. Ele e mais oito pessoas morreram na queda deste domingo, em Calabasas, na Califórnia, segundo confirmou o xerife da cidade em entrevista coletiva após o ocorrido.

O astro do Los Angeles Lakers, de 41 anos, estava viajando com outras sete pessoas, além do piloto, e nenhuma sobreviveu. O site TMZ foi o primeiro a informar, mas ainda não há notícias oficiais da causa da queda da aeronave. A polícia e o Corpo de Bombeiros da Califórnia confirmaram a queda do helicóptero momentos depois do ocorrido. Oficiais da cidade confirmaram ainda que Gianna, a filha de 13 anos de Bryant, também era umas das vítimas, além do técnico de beisebol do colégio de Orange Coast, John Altobelli.

Kobe Bryant tinha o hábito de viajar de helicóptero. Fez isso por anos, principalmente quando atuava pelos Lakers. Depois de Michael Jordan, o jogador é considerado um dos maiores de todos os tempos. A polícia de Los Angeles confirmou a queda da aeronave minutos depois de a informação de sua morte ser noticiada nos EUA, mas ainda sem anunciar que o astro do basquete estava entre os envolvidos. Huve muita comoção nas redes sociais. A NBA ameaçou cancelar sua rodada de ontem, com oito partidas, mas desistiu da ideia.  O presidente dos EUA, Donald Trump, classificou o ocorrido como "terrível". 

Dentre tantos feitos, Kobe Bryant foi cinco vezes campeão da NBA e eleito para o All-Star Game, o Jogo das Estrelas da liga, em 18 oportunidades. Além dos prêmios como jogador, ele também soma em seu currículo de premiações um Oscar em 2018 com a animação Dear Basketball.

No total, somando as 20 temporadas na NBA usando as camisas 8 e 24, Kobe Bryant terminou sua carreira com a impressionante marca de 33.643 pontos - a quarta maior de todos os tempos, atrás apenas Kareem Abdul-Jabbar (38.387), Karl Malone (36.928) e LeBron James (33.655). Kobe é uma lenda. Ele encerrou sua trajetória na NBA com médias de 25 pontos, 4,7 assistências e 5,2 rebotes em seus 1.346 jogos disputados em temporadas regulares.

Pela seleção dos Estados Unidos, Kobe Bryant faturou a medalha de ouro nas Olimpíadas de 2008, em Pequim, e em 2012, em Londres. No Los Angeles Lakers, teve a camisa 8 e 24 aposentadas, o primeiro jogador da história a ser homenageado com tal feito. Em sua última partida como jogador profissional, diante do Utah Jazz, anotou 60 pontos. No entanto, sua maior marca é diante do Toronto Raptors, em 2006, quando atingiu nada menos que 81 pontos.

INÍCIO

Após ser draftado em 1996 pelo Charlotte Hornets, foi trocado para o Los Angeles Lakers e adotou o número 8. Porém, no início da temporada 2006/2007, optou por vestir a camisa 24, a mesma que usou quando estava no high school. Quanto às suas referências, o Brasil ocupa um lugar de destaque. Seu pai, Joe Bryant, jogou basquete profissionalmente na Itália, onde o então futuro astro, ainda criança, conheceu Oscar Schmidt. O brasileiro foi, assumidamente, umas das maiores referências de Kobe como jogador.

POLÊMICA

Em 2003, quando estava prestes a operar o joelho, Kobe foi acusado de estuprar uma funcionária de um hotel onde estava hospedado. A mulher, no entanto, recusou-se em realizar os testes exigidos pela polícia na época e, posteriormente, acabou retirando a queixa mais pesada, mantendo apenas uma menor.

Como forma de acordo, Kobe concedeu uma entrevista coletiva onde admitiu o erro e pediu perdão publicamente para a funcionária e à sua família. Para se redimir, o jogador presentou sua mulher Vanessa com um anel avaliado em US$ 3 milhões (R$ 12 milhões na época).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.