Sérgio Castro/Estadão
Sérgio Castro/Estadão

Kobe Bryant projeta retorno e mira desbancar reinado do Miami Heat

Astro do Los Angeles Lakers avisou que pretende tirar rival do topo da NBA na próxima temporada

MARCIUS AZEVEDO, Agência Estado

21 de junho de 2013 | 17h09

SÃO PAULO - Kobe Bryant não viu o Miami Heat derrotar o San Antonio Spurs na noite de quinta-feira, na sétima partida das finais da NBA, e conquistar o seu terceiro título, o segundo consecutivo, mas reconheceu que LeBron James e companhia são o time do momento.

Em evento em São Paulo, o astro do Los Angeles Lakers afirmou que "é completamente possível" o Miami iniciar uma dinastia na NBA. Kobe elogiou bastante o rival, mas, claro, avisou que pretende tirá-los do topo da liga na próxima temporada. "Eles têm muito talento, têm grandes jogadores, jogam bem nas duas extremidades. A nossa ideia, da organização dos Lakers, é parar isso", afirmou.

O ala prometeu voltar com tudo. Kobe ainda se recupera de uma grave lesão no tendão de Aquiles, que o afastou do fim da temporada regular e o fez perder os playoffs. Sem o astro, o Los Angeles Lakers acabou eliminado na primeira rodada pelo San Antonio Spurs.

"Ainda estou empolgado para jogar. Esta lesão está me dando novas energias para poder jogar, espero jogar por mais três, quatro anos", disse Kobe, que pretende mostrar aos críticos que sua carreira não está encerrada.

"Eu me sinto muito bem, posso ver a cicatriz, faz apenas dois meses, mas estou andando bem, depois da lesão tive dúvidas se poderia voltar e jogar em um grande nível. Eu comecei a ouvir pessoas e é um desafio. Vou mostrar", prometeu o astro, que espera ter uma equipe mais forte na próxima temporada.

Para ele, o principal é Dwight Howard decidir o seu futuro. O pivô é agente livre e pode acertar com qualquer equipe da NBA. "A decisão é do Dwight, não sabemos o que ele vai fazer. Temos de sentar e esperar o que ele vai decidir. Espero que ele continue conosco e aí construiremos um time", comentou.

Apesar de se mostrar empolgado com o retorno às quadras, Kobe descartou defender os Estados Unidos nos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro. O ala é bicampeão olímpico: Pequim/2008 e Londres/2012. "Eu não penso que vocês vão me ver aqui em 2016. A minha aposentadoria está muito mais perto agora", comentou.

Em relação ao basquete brasileiro, o astro dos Lakers teceu muitos elogios. "O Brasil tem muitos talentos e muito potencial. Jogamos contra a seleção quatro, cinco vezes e sempre nos deu um jogo duro. São grandes jogadores de basquete", comentou.

"Eu amaria ajudar a continuar a desenvolver o basquete do Brasil, continuar a desenvolver o jogo. É um jogo bonito, gosto de estar perto de jogadores e pessoas que ajudam o esporte, como Varejão, Nenê e Leandrinho", completou.

Kobe aproveitou para elogiar um de seus ídolos. "Eu cresci vendo ele jogar contra meu pai", comentou o ala ao ser questionado sobre Oscar Schmidt, com quem se encontrou na tarde desta sexta-feira. "Sempre o chamei de bomba, sempre foi uma lenda", finalizou o astro dos Lakers, que mais tarde publicou uma foto do encontro com o ídolo no Instagram.

Tudo o que sabemos sobre:
basqueteKobe BryantLos Angeles Lakers

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.