ANDREW D. BERNSTEIN / NBAE / Getty Images / Getty Images via AFP
ANDREW D. BERNSTEIN / NBAE / Getty Images / Getty Images via AFP

Lakers batem Heat na prorrogação com Monk certeiro e triplo-duplo de Westbrook

Apesar de desfalcada, equipe californiana vence por 120 a 117 no reencontro dos finalistas da temporada 2020 da NBA

Redação, O Estado de S.Paulo

11 de novembro de 2021 | 09h31

O reencontro dos finalistas de 2020 da NBA foi um jogaço na madrugada desta quinta-feira, decidido apenas na prorrogação e com o Los Angeles Lakers mais uma vez comemorando um triunfo sobre o Miami Heat, desta vez por 120 a 117, no Staples Center. Repleto de desfalques, a vitória veio em noite iluminada de Russel Westbrook e Malik Monk.

O resultado para os Lakers foi ainda mais comemorado pelo alto número de desfalques. A equipe jogou com somente 10 jogadores na rotação de quadra. LeBron James (distensão abdominal), Rajon Rondo (isquiotibial) e Austin Reaves (isquiotibial) não puderam ajudar a equipe de Los Angeles, que ainda aguarda recuperação de Talen Horton-Tucker, Trevor Ariza e o ex-armador do Heat, Kendrick Nunn, sem jogos disputados na temporada.

Com poucas opções em quadra de ambos os lados, o duelo começou equilibrado. E durou somente um quarto para o ala Jimmy Butler. O cinco vezes all-star game torceu o tornozelo direito e deixou a quadra para não voltar mais no início do segundo período. Ele havia anotado sete pontos para o Heat.

Sem as estrelas principais, coube ao reserva Monk, ao armador Westbrook e ao pivô Anthony Davis comandarem os Lakers de um lado e o pivô Bam Adebayo e o ala-armador Tyler Herro serem os protagonistas do Heat do outro.

Era cesta de um lado e resposta do outro. Os visitantes foram ao intervalo com dois pontos de vantagem: 57 a 55 e imaginavam um fim de noite melhor. "Foi apenas um jogo selvagem do início ao fim", disse o pivô Adebayo, de Miami, que fez 28 pontos, seguido por 27 de Herro, insuficientes para uma vitória em Los Angeles.

Westbrook anotou duas cestas seguidas no fim do quarto período para deixar o placar em 112 a 112 e levar a decisão para a prorrogação. Fecharia a partida com triplo-duplo: 25 pontos, 14 assistências e 12 rebotes. Enquanto Anthony Davis terminou com um duplo-duplo após 24 pontos e 13 rebotes.

A noite, porém, foi do jovem armador Malik Monk. O jogador de 23 anos saiu do banco de reservas para ter uma das três melhores noites de sua carreira. Com a mão calibrada, acertou 10 de 13 tentativas na espetacular e disputada partida. Ainda fez quatro cestas de três pontos.

Os Lakers tinham dois pontos de vantagem no fim da prorrogação quando o Miami falhou em tentativa de três para virar. No rebote. Carmelo Anthony sofreu falta e acabou não decidindo para os Lakers ao errar um dos dois lances livres. No último ataque, com chance de novo empate, a bola do Heat novamente não entrou, para alívio e festa no Staples Center.

"Eu desempenhei esse papel algumas vezes em Charlotte, quando vários caras se machucaram", disse Monk, que fez três das cinco exibições de maior pontuação de sua carreira contra o Miami. "Tive que entrar, jogar muitos minutos e fazer todas as coisas que normalmente não faço. Trabalho muito no meu jogo, então estava realmente preparado para este momento."

Confira os resultados desta quarta-feira:

Cleveland Cavaliers 94 x 97 Washington Wizards

Orlando Magic 90 x 123 Brooklyn Nets

Houston Rockets 104 x 112 Detroit Pistons

New York Knicks 100 x 112 Milwaukee Bucks

Boston Celtics 104 x 88 Toronto Raptors

Memphis Grizzlies 108 x 118 Charlotte Hornets

Chicago Bulls 117 x 107 Dallas Mavericks

New Orleans Pelicans 100 x 108 Oklahoma City Thunder

San Antonio Spurs 136 x 117 Sacramento Kings

Denver Nuggets 101 x 98 Indiana Pacers

Phoenix Suns 119 x 109 Portland Trail Blazers

Los Angeles Lakers 120 x 117 Miami Heat

Golden State Warriors 123 x 110 Minnesota Timberwolves

Confira os jogos desta quinta-feira:

Philadelphia 76ers x Toronto Raptors

Utah Jazz x Indiana Pacers

Los Angeles Clippers x Miami Heat

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.