Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Leandrinho completa seleção de basquete

A apresentação nesta terça-feira do armador Leandrinho, do Phoenix Suns, da NBA, completou a seleção brasileira masculina de basquete que se prepara para a disputa do Pré-Olímpico de Porto Rico, entre os dias 20 e 31. O jogador não escondeu seu entusiasmo por voltar à equipe, principalmente, porque melhorou seu desempenho nas quadras, após o primeiro contato com os companheiros norte-americanos, durante o primeiro semestre.Leandrinho, assim como os demais companheiros, não escondeu o otimismo quanto a possibilidade de o Brasil conquistar uma das três vagas em disputa para os Jogos Olímpicos de Atenas. Para o jogador, a seleção tem melhorado a cada competição e, por isso, é um dos "fortes" candidatos a um lugar para a Grécia. "É muito bom voltar a fazer parte de um grupo onde todos estão unidos e confiantes. Somos uma família", disse Leandrinho, que não integrava a seleção desde o Mundial de Indianápolis, em 2002. "Não estou preocupado em ser titular. O que desejo é ajudar no que for possível." Sobre a primeira experiência no Phoenix Suns, disputando o Torneio de Verão, Leandrinho afirmou que viu muitas semelhanças entre o basquete brasileiro e o americano.De acordo com o atleta, as principais diferenças, no entanto, são os jogadores mais "fortes" e os treinamentos individuais específicos. O armador assegurou estar adaptado à vida americana lembrou do intenso calor na cidade, cerca de 45º, além do clima seco. Lembrou ter sido bem recebido pelos companheiros, o que ajudou na adaptação. "Eles são meio frios, gelados. Mas sempre faço umas brincadeiras para descontrair", divertiu-se Leandrinho. "E eles gostam e entram na brincadeira."Antes de embarcar para os Estados Unidos, Leandrinho realizou 20 jogos pelo Bauru, no Campeonato Nacional. O atleta conseguiu expressivas marcas como ser o segundo melhor cestinha (com média de 28,2 pontos, totalizando 546) e na recuperação de bolas, além de quarto nas assistências.

Agencia Estado,

12 de agosto de 2003 | 19h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.