Jorge Bevilacqua/CBB
Jorge Bevilacqua/CBB

Leandrinho só vai definir seu futuro após defender o Brasil nas Eliminatórias

Armador de 35 anos diz ter propostas da Europa e do Corinthians; lesão na mão esquerda torna volta à NBA mais difícil

Marcius Azevedo, O Estado de S.Paulo

14 de novembro de 2018 | 05h01

Perto de completar 36 anos, o armador Leandrinho revelou ter ofertas da Europa, confirmou o interesse do Corinthians e avisou que decidirá qual clube irá defender, após entrar em quadra pelo Brasil nas Eliminatórias para o Mundial da China

A seleção brasileira enfrenta República Dominicana e Canadá, nos dias 30 de novembro e 3 de dezembro, respectivamente, no Ginásio Wlamir Marques, em São Paulo.

“Tenho algumas propostas da Europa, do Brasil... Depois da seleção será o momento certo para decidir o que será feito”, afirmou o jogador. “Estou sendo pressionado por alguns times, principalmente lá de fora, para tomar uma decisão. O meu agente está cuidando disso. Estou procurando treinar firme.”

A volta à NBA, segundo ele, não está descartada, mas ficou um pouco mais complicada por causa de uma lesão na mão esquerda. Leandrinho sofreu uma fratura ao atuar pelo Flamengo, no início de outubro, no jogo contra o Orlando Magic. “Tive propostas para ficar lá (nos EUA), mas, por ter quebrado a minha mão, dificultou um pouco”, reconheceu. 

Leandrinho confirmou que recebeu uma oferta do Corinthians para jogar o NBB. O valor, no entanto, está distante do pretendido. O clube aguarda uma resposta, mas, para o armador, existem muitas coisas a serem negociadas para o acerto com o clube de coração.

“Não tem como comparar (o aspecto financeiro). Temos de saber qual a nossa realidade. São situações que precisamos conversar e não será em apenas uma conversa que vai resolver. A minha vontade é imensa, sou corintiano, mas temos de conversar, ver o que pode ser feito.”

Aos 35 anos, o armador diz que dará o próximo passo já pensando no futuro longe das quadras. “É bom você pensar em todos os aspectos. A gente sabe que o basquete é passageiro, daqui a pouco estarei parando. Aí ficam mulher, filhos, família... Tem muita coisa para colocar na balança para ver qual é a melhor decisão”, comentou.

Até lá, Leandrinho está focado apenas em defender o Brasil. O período de inatividade, segundo ele, não será um problema para os jogos com República Dominicana e Canadá. O técnico da seleção, Aleksandar Petrovic, afirmou em setembro que o armador tinha de acertar com urgência um contrato para não afetar o desempenho em quadra.

O jogador discorda. "Não faz diferença para mim. Estou há muito tempo no basquete, tenho muita experiência. Também estou sempre jogando, nunca paro. Sei exatamente o que preciso fazer quando estou em quadra. Se estivesse começando ontem, tudo bem. Na minha avaliação, não é um obstáculo ou uma dificuldade que eu tenha", avaliou.

"Não sei como ele pretende me usar nesses jogos, como titular ou saindo do banco, mas vou fazer o que sei fazer e como sempre fiz. O Petrovic está se preocupando à toa", encerrou.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.