Ezra Shaw/AFP
Ezra Shaw/AFP

LeBron brilha, mas Cavaliers perdem em 1º jogo da final da NBA

Warriors conseguem superar atuação rival com vitória por 108 a 100

Estadão Conteúdo

05 de junho de 2015 | 10h01

LeBron James fez de tudo. Marcou 44 pontos, não encontrou marcação à altura durante quase toda partida e foi o nome do jogo 1 da final da NBA. Do outro lado, Stephen Curry esteve abaixo do esperado em boa parte do confronto. Mas mesmo com tudo a favor do Cleveland Cavaliers, o Golden State Warriors conseguiu de alguma forma superar as adversidades e largar em vantagem na decisão ao fazer 108 a 100 na última quinta-feira, em casa.

Em sua primeira final de NBA depois de 40 anos, o Warriors chegou a ficar 14 pontos atrás no placar, mas buscou o empate e, no tempo extra, a virada. Com a vantagem do mando de quadra, a equipe de Oakland fará o segundo jogo novamente diante de seus torcedores, no domingo. Só então a série vai para dois jogos em Cleveland, na próxima terça e quinta.

Foi a vitória do jogo coletivo sobre uma atuação individual histórica. LeBron carregou o ataque do Cavaliers nas costas, ao lado de Kyrie Irving e Timofey Mozgov. Para se ter uma ideia da importância destes jogadores, somente eles marcaram pontos para o time de Cleveland a partir do terceiro período. Do outro lado, o Warriors dividiu bem as funções, sofreu, mas na hora da decisão tinha mais nomes em quem confiar.

Além dos 44 pontos, LeBron pegou oito rebotes e deu seis assistências. Irving terminou com 23 pontos, enquanto Mozgov anotou 16. Pelo Warriors, Curry anotou 26 pontos e deu oito assistências, enquanto Klay Thompson terminou com 21 pontos, Andre Iguodala saiu do banco para marcar 15 e Draymond Green anotou 12.

Desde o início da partida, LeBron chamou para si a responsabilidade de comandar o ataque do Cavaliers. Sem encontrar qualquer resistência na marcação de Harrison Barnes, o astro foi para cima, infiltrou, arremessou de longe, cavou faltas e marcou 12 pontos somente no primeiro período. Do outro lado, o Warriors não encontrava seu arremesso, tinha dificuldade em marcar pontos e, assim, a vantagem dos visitantes chegou a 14.

Stephen Curry se via preso na ótima marcação de Kyrie Irving, que, mesmo debilitado, fez ótima partida. Somente no segundo quarto, o armado do Warriors conseguiu abrir espaço, marcou dez pontos no período e deixou tudo igual. O equilíbrio foi mantido nos últimos dois períodos e a decisão ficou mesmo para o fim.

Mesmo com as trocas de placares, o Cavaliers parecia mais perto da vitória. A cada aproximação do Warriors, colocavam a bola nas mãos de LeBron e o astro definia. Curry reapareceu no último período e os times foram trocando pontos até os últimos segundos.

Foi então que Curry teve a chance da vitória, conseguiu invadir o garrafão sozinho, mas, na hora da bandeja, levou um toco de Irving, a 26 segundos para o fim. O Cavaliers pediu tempo e teve tempo de armar um último ataque, mas LeBron, bem marcado por Andre Iguodala, acertou o aro. Iguodala, aliás, foi o único capaz de parar o astro, principalmente a partir do segundo tempo.

O jogo foi para a prorrogação, e aí começou o pesadelo do time de Cleveland. Depois de quase dois minutos sem ninguém pontuar, Curry cavou duas faltas seguidas e converteu os quatro arremessos. Harrison Barnes, então, acertou uma bola de três. De repente, a vantagem era de 10 pontos. Somente com a partida já decidida, a segundos para o fim, LeBron marcou os primeiros pontos do time na prorrogação. Em meio a tudo isso, Irving voltou sentir o joelho esquerdo e preocupara para o resto da série.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.