Twitter/Ipromise
Twitter/Ipromise

LeBron funda escola na sua cidade: 'Um dos melhores momentos da vida'

Astro da NBA admitiu ter se sentido "nervoso" antes da inauguração

Estadão Conteúdo

30 Julho 2018 | 18h06

Novamente de saída da sua casa, LeBron James desta vez deixará para trás algo que ele mesmo assegura ser mais valioso do que qualquer um dos seus títulos da NBA. O astro, que neste mês encerrou a segunda passagem pelo Cleveland Cavaliers ao assinar com o Los Angeles Lakers, fundou neste segunda-feira uma escola pública para crianças em Akron, a sua cidade natal.

+ Bicampeão com Lakers, Lamar Odom anuncia que jogará na China na próxima temporada

O astro da NBA admitiu ter se sentido "nervoso" antes da inauguração, um evento que, afirmou, "vai ser um dos melhores momentos, se não o melhor, da minha vida" por significar um aumento do seu legado fora do esporte. "Esse garoto magro de Akron, que perdeu 83 dias de aula na quarta série, tinha grandes sonhos para as crianças de Akron, para dar a elas tudo que elas precisam para achar suas paixões, retribuir à nossa comunidade e mudar o mundo", acrescentou.

A Escola I Promise (Eu Prometo, em inglês) atenderá inicialmente 240 alunos de terceiro e quarta séries. A escola em Akron aumentará ano a ano, incorporando a segunda e a quinta séries em 2019. Em 2022, contará com estudantes da primeira até a oitava série, chegando aos mil alunos.

LeBron passou 11 temporadas no Cavaliers, ganhando um título em 2016, o que encerrou um período de 52 anos de Cleveland sem uma conquista de uma equipe da cidade em uma liga esportiva profissional. Agora, então, encerrou a segunda passagem pelo time, que durou quatro anos, iniciada em 2014, após jogar por outros anos pelo Miami Heat.

Depois de ser batido pelo Golden State Warriors na final da NBA na temporada passada, LeBron se tornou "agente livre" e acertou a sua transferência para o Lakers, que não chegou aos playoffs no último campeonato e que parece muito distante de ter condições de brigar pelo título da Conferência Oeste.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.