Mark J. Terrill/AP
Mark J. Terrill/AP

LeBron James está fora dos playoffs pela primeira vez em 14 anos

Astro não conseguiu ajudar o Los Angeles Lakers, que fica fora da pós-temporada pelo sexto ano seguido

Gabriel Melloni e Marcius Azevedo, O Estado de S.Paulo

27 de março de 2019 | 11h00

Pela primeira vez desde a temporada 2004/2005, os playoffs da NBA não terão LeBron James. Um dos maiores jogadores da história do basquete, o astro não conseguiu levar o Los Angeles Lakers à pós-temporada em seu primeiro ano por lá, e voltará a acompanhar de longe a fase de mata-mata da liga após 14 anos.

Esta será apenas a terceira vez que LeBron se ausentará dos playoffs, sendo que as anteriores aconteceram em seus dois primeiros anos na NBA. A liga fica sem seu principal rosto desde a "era Michael Jordan" e terá de se reacostumar a viver sem o astro como principal foco neste momento decisivo.

"Infelizmente, depois de tanto tempo, vamos ver playoffs sem LeBron James. Um jogador que é uma das caras da NBA, extremamente competitivo, que ganhou muito, especialmente, nos últimos anos, mas que acabou perdendo parte da temporada por lesão, além das lesões de outros jogadores, e isso atrapalhou muito os Lakers na temporada. É um cara que os fãs gostam de ver jogando, os playoffs perdem muito sem ele", afirmou o pivô Anderson Varejão, do Flamengo, que jogou com LeBron no Cleveland Cavaliers e depois o enfrentou pelo Golden State Warriors nas finais.

Rival de LeBron nas finais da liga em 2014/2015 e 2015/2016, também pelo Warriors, Leandrinho concorda com Varejão. "A ausência do LeBron é um grande desfalque para os playoffs, para os amantes do basquete, pois, sem dúvida, ele é um dos maiores. E termos jogos com a presença dele é algo que sempre devemos valorizar", afirmou o armador, atualmente no Minas.

A ausência de LeBron nos playoffs se deu por uma combinação de fatores. O primeiro deles passa por uma decisão tomada pelo astro antes mesmo do início da competição, ao aceitar a proposta do Los Angeles Lakers, após o término de seu contrato com o Cleveland Cavaliers.

LeBron vinha de quatro finais consecutivas e um título com os Cavaliers, mas optou por novos ares e foi para a Califórnia. Lá, não só se deparou com uma conferência mais complicada - o Oeste tem se mostrado mais forte que o Leste há anos -, como encontrou um time jovem, sem as estrelas que o cercaram por anos em Cleveland e em Miami, defendendo as cores do Heat.

Sem nomes como Dwyane Wade, Chris Bosh, Kevin Love ou Kyrie Irving ao seu lado, LeBron até conseguiu um bom início de temporada com os Lakers ao lado de Lonzo Ball, Brandon Ingram e Kyle Kuzma, que ainda buscam seu protagonismo na liga. Na tradicional rodada de Natal, porém, o astro sofreu uma lesão na virilha diante dos Warriors e ficou mais de um mês afastado.

Da quarta colocação no Oeste, os Lakers foram caindo até deixarem a zona de playoffs. Nem a volta de LeBron fez a equipe voltar a exibir o basquete do início da temporada, e as lesões de Kuzma, Ball, Josh Hart, entre outros, contribuíram para a queda de desempenho.

A situação ficou ainda pior no início de fevereiro, na reta final do período de trocas da liga. O claro interesse em Anthony Davis, do New Orleans Pelicans, fez com que os Lakers considerassem "negociáveis" quase todos os nomes do elenco, com a exceção de LeBron, o que teria abalado o clima nos vestiários.

Diante de tantos obstáculos, o time californiano foi emendando derrota atrás de derrota, até que a classificação aos playoffs fosse matematicamente impossível. Agora, resta ao astro de 34 anos aproveitar o raro período de descanso para se aprimorar fisicamente e impedir que lesões como a desta temporada se repitam.

"É uma pena estar longe dos playoffs. Obviamente, a primeira coisa que vem à minha cabeça é cuidar do meu corpo. Joguei muito basquete, muitos minutos, ao longo dos meus 16 anos de carreira. Então, ter a oportunidade de me preparar por dois meses a mais e refrescar a minha cabeça e meu corpo será chave para a próxima temporada. Estou ansioso para isso", disse LeBron.

A ausência do astro também representará uma nova realidade para as finais da NBA. Afinal, o astro esteve presente nas últimas oito decisões da liga - venceu três delas -, por Cavaliers e Heat, o que não acontecerá nesta edição. Espaço, então, para nomes como Kevin Durant, Giannis Antetokounmpo, James Harden, Kawhi Leonard e outros tentarem assumir o trono no momento mais importante da temporada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.