Reprodução
Reprodução

Livro marca os 25 anos do título do Corinthians gaúcho de Ary Vidal

Time foi campeão brasileiro no basquete em 1994, na primeira e única conquista de uma equipe gaúcha

Redação, O Estado de S.Paulo

17 de abril de 2019 | 04h32

Dia 17 de abril de 1994. A data faz parte do calendário do basquete brasileiro. Há exatos 25 anos, a Pitt/Corinthians conquistava o título nacional. O livro "Corinthians do Ary Vidal", do jornalista Guilherme Mazui Roesler, retrata o primeiro e único título de uma equipe gaúcha na história.  A obra publicada pela Editora Gazeta, com apoio cultural da Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc), nasceu de uma pesquisa de 10 anos. 

Naquela temporada, a Pitt/Corinthians uniu o Rio Grande do Sul, colocou gremistas e colorados na mesma torcida, a fim de virar um playoff que parecia perdido diante de Franca, do técnico Hélio Rubens, que buscava o quarto título nacional em cinco anos.

Após duas derrotas em São Paulo, os gaúchos lotaram o ginásio Tesourinha, em Porto Alegre, por três dias seguidos. Exímio motivador e rápido nas metáforas, Ary colocou em quadra seu "incrível exército de Brancaleone" ou os "12 condenados". 

Sem jogadores de seleção e liderada em quadra pela dupla de norte-americanos Brent Merritt e Alvin Frederick, a Pitt/Corinthians obteve três vitórias consecutivas, a última na tarde de 17 de abril de 1994. Como registrou Ary Vidal à época, os 12 atletas "condenados" à derrota estavam "absolvidos".

"O livro se concentra de 1990 a 1994, nos quatro primeiros anos, de um total de sete em que Ary comandou o Corinthians. Na década de 1990, o Corinthians foi a primeira equipe a derrubar a hegemonia paulista nas quadras brasileiras", afirma o autor.

O livro também homenageia o trabalho de Ary Vidal, morto em 2013. O técnico liderou um projeto ousado e, assim como em Indianápolis, quando foi campeão pan-americano comandando Oscar, Marcel e cia, ao superar os Estados Unidos, realizou uma tarefa que muitos consideravam impossível. 

"Ary assumiu uma equipe até então amadora e a colocou no mapa do basquete nacional. Jogadores de seleção e norte-americanos passaram por Santa Cruz, em um período que revelou uma das torcidas mais apaixonadas do Brasil. Santa Cruz era sinônimo de ginásio lotado", acrescenta.

 

VIRADA CONTRA FRANCA

Entre idas e vindas, desistências e retomadas, o livro tomou 10 anos de trabalho. A obra exigiu um esforço de apuração que mesclou pesquisas em arquivos físicos e digitais de jornais, leituras de livros e artigos, buscas em acervos de vídeos, consultas em sites brasileiros e estrangeiros e dezenas de entrevistas com jogadores, comissão técnica, dirigentes e jornalistas.

"A obra não tem a pretensão de ser uma versão definitiva dos quatro primeiros anos de Ary Vidal no Corinthians. É um registro do que foi possível reunir de dados, vídeos, fotos, reportagens e memórias. Trata-se de uma homenagem aos responsáveis por um período mágico do basquete gaúcho", diz o autor.

Dividido em três partes, o livro procura fazer uma fotografia do basquete nacional à época. A primeira parte da obra narra a chegada de Ary a Santa Cruz, em 1990, para liderar um time que teve os selecionáveis Marcel e Rolando, mais os norte-americanos Alvin e Parker. Terceiro colocado no campeonato nacional de 1991, o Corinthians ganhou a alcunha de "Fantasma da Liga", único time de fora de São Paulo que beliscava o título.

A segunda parte do livro aborda as Ligas de 1992 e 1993 e a empolgação que resultou na construção de um ginásio para acomodar a paixão local pelo basquete.

Já a terceira parte trata da temporada 1993-1994, com a reformulação da equipe, desacreditada pela redução de investimentos e pela ausência de jogadores de seleção. O livro recupera a trajetória das carreiras dos "12 condenados", como Ary passou a chamar seus atletas, e da Pitt/Corinthians na Liga de 1994 até a virada no playoff decisivo contra Franca.

SERVIÇO:

Livro: "Corinthians do Ary Vidal"

Autor: Guilherme Mazui Roesler

Apoio cultural: Unisc

Editora: Editora Gazeta

Páginas: 402

Valor: R$ 70

Contato para interessados: circulacao@editoragazeta.com.br ou (51) 3715 7989 

Mais conteúdo sobre:
basquete

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.