Lula estréia na seleção de basquete

O técnico Aluísio Ferreira, o Lula, fazneste domingo, às 18 horas, em Uberlândia, a sua estréia nocomando da seleção brasileira masculina de basquete. É oprimeiro dos três amistosos contra a Venezuela, na preparaçãopara disputar o Sul-americano do Uruguai, na próxima semana. Adefinição do time titular e que vai ao Uruguai ocorreria apenasna noite de ontem (12), após o último treino, já que o treinadorqueria manter todos os jogadores motivados na busca por umavaga. Lula, no entanto, adiantou que no grupo de 12 ficarão trêsarmadores, cinco alas e quatro pivôs. Nos treinamentos emUberlândia, quatro armadores estavam à disposição de Lula:Valtinho, Helinho, Nezinho e Arnaldinho. O experiente Demétriuspode atuar tanto como ala como armador. Entre os alas estãoMarcelinho, Alex, Dedé, Guilherme e Renato, sendo que os doisúltimos podem atuar na posição de um segundo pivô, abrindo maiso jogo ofensivamente em determinadas situações. O juvenil MarcusVinícius integrou-se ao grupo na quarta-feira (09) para ganharmais experiência. Após as contusões de Luís Fernando e Lucas Tischer, Lula sópôde contar com quatro pivôs nos treinos: Tiago Splitter, AndréBambu, Murilo e Tiagão. O treinador, no entanto, não tinha adefinição sobre Anderson Varejão, do Barcelona, que até poderádisputar um ou outro amistoso contra a Venezuela ou ir diretopara o Sul-americano. "Esses jogos são importantes, pois vamosenfrentar um adversário forte no continente, nos JogosPan-americanos e até no Pré-Olímpico", lembra Lula, que tambémusará os amistosos para corrigir as possíveis falhas nãodetectadas nos jogos-treinos realizados com árbitros. Uma opção que Lula poderá adotar, em pelo menos um amistoso, éincluir um estreante (sem experiência internacional na equipeadulta), o 13o jogador. Poderá até ser o substituto temporáriode Anderson Varejão. De qualquer forma, Lula está empolgado como seu início de trabalho e confiante em conseguir a vagaolímpica, no Pré, em Porto Rico, no final de agosto. Ele, quefoi assistente de Ary Vidal, José Medalha e Hélio Rubens Garcia,e trabalha para a Confederação Brasileira de Basquete (CBB)desde 1987, tem, a partir deste domingo, o seu grande momento.Aliás, é uma premiação para o técnico, que, nos últimos trêsanos, tem conseguido bons resultados pelo COC/Ribeirão, como obicampeonato paulista e o título brasileiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.