/Martin Mejia/AP- 8/9/2011
/Martin Mejia/AP- 8/9/2011

Magnano quer defesa forte contra dominicanos na semifinal

Técnico da seleção brasileira de basquete cobra atenção e pede sacrifício na marcação

AE-AP, Agência Estado

09 de setembro de 2011 | 20h48

O Brasil está a uma partida, a 48 minutos de bola quicando, de voltar a classificar sua seleção masculina de basquete para uma Olimpíada após longos 16 anos. A grande chance é neste sábado, às 19h, contra a República Dominicana, em Mar del Plata, em jogo válido pelas semifinais do Pré-Olímpico de Basquete das Américas.

O adversário é o único que venceu o Brasil na competição, ainda na primeira fase. Na ocasião, a derrota por 79 a 74 foi causada principalmente por uma péssima partida defensiva dos brasileiros. A evolução da equipe, que depois venceu a Argentina e atropelou Porto Rico, outros semifinalistas, aconteceu exatamente quando a defesa melhorou. Por isso, o técnico Ruben Magnano quer atenção máxima na marcação dos dominicanos.

"A defesa é uma questão de aprendizado. Quem não sabe defender, que aprenda, e aquele que puder, pelo menos que se sacrifique", disse o técnico argentino que levou a seleção de seu país a uma inédita medalha de ouro olímpica e a um vice-campeonato mundial.

O treinador aponta três jogadores que precisam ser neutralizados e que deram "muito trabalho" no jogo da primeira fase: Al Horford, Jack Martínez e Francisco Garcia.

Os três estão entre os destaques do torneio. Horford, pivô do Atlanta Hawks, da NBA, é o terceiro maior cestinha, com 149 pontos. Também pivô, Martínez, que joga no seu país, pelo Cocolos, é o maior reboteiro (97 rebotes) e García, armador do Sacramento Kings, também da NBA, é líder nos tocos, com 10.

Se vencer o Brasil, a República Dominicana disputará uma Olimpíada pela primeira vez. O basquete naquele país vive clara evolução. Até este Pré-Olímpico, o maior momento da equipe havia sido o quinto lugar na Copa América de San Juan, em Porto Rico.

Tudo o que sabemos sobre:
basquetePré-Olímpico de Basquete

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.