Kevin Jairaj/USA Today Sports
Kevin Jairaj/USA Today Sports

Malik Beasley, dos Timberwolves, é condenado a 120 dias de prisão após a temporada

Ala-armador declarou-se culpado pela acusação de ameaça violenta envolvendo armas

Redação, O Estado de S.Paulo

09 de fevereiro de 2021 | 15h17

Malik Beasley, ala-armador do Minnesota Timberwolves na NBA, terá uma rotina conturbada após a temporada. Nesta terça-feira, o jogador foi sentenciado a 120 dias de cadeia por um juiz de Minnesota após se declarar culpado da acusação de ameaças violentas. A pena começará a valer após o término do campeonato vigente.

Em entrevista à ESPN americana, o advogado de Beasley, Steven Haney, diz que seu cliente fará parte de um programa de liberação e que potencialmente tem chances de cumprir sua pena em confinamento domiciliar. A acusação do crime pode ser reduzida a uma contravenção no final de sua liberdade condicional.

Ainda sobre o caso, os promotores decidiram remover as acusações envolvendo drogas após um acordo judicial. "Estamos muito satisfeitos com o resultado, que permitirá a Malik (Beasley) continuar trabalhando para se tornar uma pessoa melhor e fazer melhores escolhas", declarou Haney.

Beasley, que tem bons números na temporada, com médias de 20,5 pontos e 5,2 rebotes por jogo, estava enfrentado acusações pela posse e uso de substâncias controladas e narcóticos, além de receptação e ocultação de propriedades roubadas, segundo os registros da prisão do condado de Hennepin.

ENTENDA O CASO

Malik Beasley foi preso no fim de setembro, em sua casa, que fica na cidade de Plymouth, no estado de Minnesota. Na época, os policias responsáveis declararam que foram chamados ao local por causa de uma denúncia de ameaça que envolvia armas. As testemunhas afirmaram que estacionaram em frente à residência do jogador quando o mesmo apareceu no vidro do carro e, apontando uma arma, 'aconselhou' que saíssem dali.

As autoridades disseram ainda que, segundo o relato das testemunhas, o homem em questão ficou acompanhando de longe e mirando com sua arma enquanto eles iam embora. Os policiais estabeleceram um perímetro e sentiram um forte odor de maconha.

Um carro tentou sair da propriedade em questão e acabou sendo parado pela polícia. Três pessoas no veículo foram detidas e, posteriormente, liberadas. Um suspeito, que se identificou como o dono da propriedade, ficou do lado de fora gritando com os policiais. As autoridades então emitiram um mandado de busca e apreensão e no local encontraram drogas e diversas armas, sendo que uma foi identificada como roubada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.