Chris Keane/ Reuters
Chris Keane/ Reuters

Michael Jordan declara apoio à NBA sobre postura pró-vacinação contra a covid-19

Lenda do basquete americano se manifesta a favor dos rígidos protocolos da liga para jogadores não imunizados. Tema tem sido motivo de debate após atletas como Kyrie Irving e Bradley Beal se recusarem a receber o imunizante

Redação, Estadão Conteúdo

14 de outubro de 2021 | 09h55

Em meio a manifestações importantes contrárias à vacina contra a covid-19, como de Bradley Beal e Kyrie Irving, a NBA ganhou um adepto de peso. Michael Jordan, dono do Charlotte Hornets e seis vezes campeão com o Chicago Bulls, em entrevista à NBC, declarou que concorda com os protocolos rígidos estabelecidos pela liga para jogadores não imunizados e que apoia a vacinação.

"Estou totalmente em uníssono com a liga. E eu acho que todo mundo tem falado sobre as vacinas. E, você sabe, eu acredito firmemente na ciência e vou ficar com isso e espero que todos cumpram o que quer que a liga estabeleça sobre as regras. Acho que, uma vez que todos comprem (a ideia), vamos ficar bem", disse.

Foi a primeira vez que a lenda se manifestou publicamente sobre o assunto. Em fevereiro ele doou US$ 10 milhões (R$ 55 milhões na cotação atual) para abrir duas clínicas médicas de sua família no estado da Carolina do Norte, que distribuíram cerca de 23 mil doses da vacina na região, o que já sinalizava um passo positivo em direção à crença na ciência.

"A velocidade das ações é mais alta do que as palavras. Posso dizer muitas coisas diferentes, mas minhas ações é que fazem a diferença", concluiu Michael Jordan.

A NBA não obriga os jogadores a tomarem a vacina, mas pressiona para que caminhem neste sentido. Não vacinados terão uma série de restrições em viagens, precisarão passar por testagens diárias e, nos casos de atletas do Golden State Warriors, Brooklyn Nets e New York Knicks, não poderão atuar nas partidas em casa, de acordo com diretrizes locais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.