Moncho: 'Jogadores não seguraram as lágrimas no vestiário'

Treinador da seleção brasileira de basquete lamenta oportunidade despediçada e elogia atletas da equipe

EFE,

18 de julho de 2008 | 17h29

O espanhol Moncho Monsalve, técnico da seleção brasileira de basquete, lamentou a derrota de nesta sexta-feira para a Alemanha, que eliminou a equipe do pré-olímpico de Atenas, na Grécia, e acabou com as chances de classificação do Brasil aos Jogos Olímpicos de Pequim.Veja também: Brasil perde para a Alemanha e diz adeus ao sonho olímpico Jogadores brasileiros lamentam perda da vaga em Pequim"Estou muito satisfeito com minha equipe. Tínhamos um sonho, mas não conseguimos realizá-lo. Eu, com 63 anos, não voltarei a ter uma oportunidade como esta para ir aos Jogos Olímpicos", afirmou.O treinador disse que o resultado foi um golpe duro para os jogadores, que chegaram a chorar no vestiário após a partida."Os jogadores não puderam conter as lágrimas no vestiário. Há muita pressão sobre o Brasil, que nunca ficou 12 anos longe dos Jogos", declarou Moncho, referindo-se ao fato de a equipe não disputar a competição desde 1996, em Atlanta.No entanto, ele disse que a equipe deve agora pensar no Mundial de 2010, na Turquia. "É preciso lembrar que cinco destes jogadores nunca disputaram uma competição internacional de alto nível. Agora devemos pensar no torneio das Américas no ano que vem e conseguir uma vaga no Mundial da Turquia", afirmou.Moncho reconheceu que o atual momento "é difícil até para um treinador" e lembrou que o time estava desgastado fisicamente."Muitos jogadores, não só do Brasil, quase não tiveram descanso e a Federação Internacional de Basquete deveria refletir sobre isto. Não há tempo para descansar. Em Porto Rico, por exemplo, ainda estão disputando um campeonato", disse o técnico, que elogiou a atuação do adversário desta sexta."A Alemanha jogou de forma incrível em alguns momentos, especialmente Pascal Roller com os arremessos de três. Enfrentamos um grande rival, mas esta equipe é muito jovem e tem muito futuro", garantiu Moncho, para quem "seria impossível passa pelos alemães" nesta sexta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.