NBA acerta venda do Clippers; ex-dono abre processo de US$ 1 bi

Venda da franquia californiana foi definida na sexta-feira em acordo com a mulher de Donald Sterling, que agora processa a NBA

Eric Kelsey, Reuters

31 de maio de 2014 | 14h14

LOS ANGELES - A NBA informou na sexta-feira que chegou a um acordo com Shelly Sterling, a esposa do proprietário do Los Angeles Clippers, Donald Sterling, com quem está rompida, para vender o time, inaugurando um novo capítulo para a franquia após 33 anos sob o comando de Sterling.

Sterling, de 80 anos, foi banido pelo resto da vida da NBA por comentários racistas em uma conversa particular gravada em segredo e vazada à mídia enquanto os Clippers disputavam os playoffs da NBA. A notícia constrangeu a liga, patrocinadores cortaram laços com o time, e os jogadores cogitaram um boicote.

Ainda na sexta-feira, Sterling processou a NBA e o comissário da liga, Adam Silver, na corte distrital de Los Angeles em pelo menos 1 bilhão de dólares. Como resultado do acordo, a liga cancelou a audiência de terça-feira na qual Sterling teria sua propriedade sobre o time anulada, o que evita uma votação de outros donos de times da NBA para estudar a expulsão do colega.

Em sua ação, Sterling diz não estar ciente de que estava sendo gravado e que foi vítima de uma cena de ciúme com uma “amante”. Ele alega que Silver e a NBA o forçaram a vender o Clippers usando uma gravação ilegal e inaceitável como prova nos termos das leis da Califórnia.

O vice-presidente executivo e conselheiro geral da liga, Rick Buchanan, classificou o processo de Sterling como infundado e disse que não lhe sobrou nenhum recurso, já que sua esposa vendeu a equipe.

“Não houve ‘venda forçada’ de seu time para a NBA --o que significa que suas alegações de antitruste e de uso indevido da gravação são completamente inválidas", declarou Buchanan em um comunicado.

O advogado de Sterling, Maxwell Blecher, disse não ter comentários sobre a decisão da NBA de aprovar em princípio a venda do Clippers por parte de Shelly Sterling por 2 bilhões de dólares para o ex-presidente-executivo da Microsoft Corp, Steve Ballmer.

(Reportagem adicional de Curtis Skinner)

Tudo o que sabemos sobre:
basqueteNBALos Angeles Clippers

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.