Christian Petersen/AFP
Christian Petersen/AFP

NBA adia mais dois jogos e marca reunião para avaliar protocolo contra covid-19

Com os novos adiamentos, já são quatro jogos não realizados neste início de temporada

Redação, Estadão Conteúdo

11 de janeiro de 2021 | 17h50

A NBA adiou mais dois jogos da temporada 2020/2021 em função do seu protocolo para evitar a propagação da covid-19: Dallas Mavericks x New Orleans Pelicans, que estava previsto para esta segunda-feira, e Chicago Bulls x Boston Celtics, anteriormente agendado para terça.

Os adiamentos foram anunciados um dia depois da partida do Miami Heat contra os Celtics na Flórida não ser realizada devido ao rastreamento de contatos de atletas que puderam estar expostos ao coronavírus. O time do Massachusetts teria apenas oito jogadores disponíveis, com sete tendo sido descartados pelos protocolos de saúde.

Com os novos adiamentos, já são quatro jogos não realizados neste início de campeonato - o primeiro havia sido Oklahoma City Thunder x Houston Rockets, que seria em 23 de dezembro. E esse número pode aumentar.

O elenco do Heat, por exemplo, que teve um resultado inconclusivo para a covid-19, está em um hotel de Boston nesta segunda, sem saber quais serão os próximos passos, embora tenha jogo marcado na Filadélfia com os 76ers, na terça-feira. Já o Dallas não tinha jogadores suficientes para atuar nesta segunda-feira - teve dois casos positivos e quatro atletas expostos, contando com apenas dez aptos.

As novas datas para esses duelos não foram reveladas pela liga, que informou a realização de uma reunião com a Associação de Jogadores da NBA com a intenção de discutir e eventualmente modificar os protocolos se saúde para o campeonato.

A NBA havia decidido concluir a temporada 2019/2020 em uma "bolha" no complexo da Disney na Flórida. Agora, porém, tinha optado por realizar o campeonato com os times atuando nos seus ginásios a partir de dezembro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.