João Pires/Divulgação
João Pires/Divulgação

NBA fecha acordo para colaborar na gestão do NBB

Para aumentar intensidade de penetração da liga norte-americana no mercado entidades fazem parceria, mas não divulgam valores

ALESSANDRO LUCCHETTI, Estadão Conteúdo

11 de dezembro de 2014 | 14h17

A NBA e a Liga Nacional de Basquete anunciaram nesta quinta-feira, no Esporte Clube Pinheiros, uma parceria para gerir comercialmente o NBB (Novo Basquete Brasil) e ao mesmo tempo aumentar o grau de penetração da liga norte-americana no mercado brasileiro. Os representantes das duas ligas se negaram a divulgar valores e extensão do contrato.

"A NBA vai colaborar com a gestão comercial das propriedades do NBB. Temos há dois anos um escritório da NBA no Brasil. A liga realizou ações que demonstraram o imenso potencial do mercado brasileiros. A quantidade de jogos da NBA transmitidos pela TV triplicou. O Brasil é o quinto país em número de assinantes do league pass (transmissão de jogos da NBA pela internet) e é o país em que a NBA mais cresce nas mídias sociais", afirmou Arnon de Mello, diretor executivo da NBA no Brasil.

Jason Cahill, o chefe do departamento estratégico e financeiro da NBA, explicou, em bom português, os motivos que levaram a liga a aportar no Brasil. "Estamos muito honrados por estar aqui. Temos uma visão estratégica de longo prazo. A Rede Globo tem feito um trabalho perfeito, e esperamos ser um parceiro valioso para incrementar o marketing, a apresentação de jogos, desenvolver a parte de entretenimento e administração do NBB. O NBB tem tudo para se tornar um dos maiores campeonatos profissionais do mundo. O Brasil tem um histórico excelente na modalidade e não podemos esperar para começar a fazer desde já parte de seu futuro".

O anúncio da parceria ocorre num momento particularmente delicado da Liga Nacional de Basquete, que perdeu patrocinadores do porte da Caixa Econômica Federal e da Eletrobras. "Em 2008, se alguém me dissesse para criarmos uma liga nacional para futuramente termos uma parceria com a NBA, eu o chamaria de louco", disse o presidente da LNB, Cássio Roque.

Kouros Monadjemi, diretor de relações institucionais da LNB, tem um objetivo ambicioso. "Agora temos como parceiros a Rede Globo e a NBA. Se não pudermos devolver ao basquete a condição de segundo esporte preferido dos brasileiros, será por incompetência nossa", declarou.

Segundo Monadjemi, estão previstas as possibilidades de intercâmbio de treinadores, preparadores físicos, excursões de pré-temporada de astros e equipes da NBA pelo Brasil. Não está fora dos horizontes a cessão de atletas da NBA Development League para equipes do NBB.

O dirigente informa que olheiros de nove equipes franquias da NBA estarão presentes em jogos da Liga de Desenvolvimento de Basquete, do NBB.

Tudo o que sabemos sobre:
basqueteNBBNBA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.