NBA fecha acordo para desenvolver basquete no território chinês

Liga norte-americana e o ministério da Educação da China firmaram um acordo para incorporar a modalidade no currículo acadêmico

Estadão Conteúdo

17 de outubro de 2014 | 19h14

O fenômeno Yao Ming segue influenciando a NBA e o esporte chinês. Nesta sexta-feira, a liga profissional norte-americana de basquete e o ministério da Educação da China firmaram um acordo para incorporar a modalidade no currículo acadêmico das escolas públicas do país asiático, em vários níveis.

O projeto da NBA é que em 2017 cerca de 3 milhões de estudantes treinem basquete na China, o que pode fazer do país asiático não apenas uma potência na modalidade, mas deverá expandir o mercado consumidor de basquete.

Pelo programa, a liga norte-americana vai levar jogadores, ex-jogadores e treinadores para as escolas chinesas para oferecer clínicas e treinamentos especiais para professores de educação física e treinadores chineses. Além disso, a NBA vai ajudar o ministério a administrar as ligas juvenis do país.

Tudo o que sabemos sobre:
basqueteNBA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.