Aaron Doster | USA Today Sports
Aaron Doster | USA Today Sports

NBA vê fase de transição na temporada 2016-2017

Kobe, Duncan e Garnett se aposentaram, e agora LeBron e companhia têm missão de passar o bastão para nova geração na liga

Marcius Azevedo e Renan Fernandes, O Estado de S. Paulo

22 Outubro 2016 | 17h05

A temporada 2016-2017 da NBA começa na terça-feira em um claro momento de transição. Com as aposentarias de Kobe Bryant, Tim Duncan e Kevin Garnett, a velha guarda da maior liga de basquete do mundo passou o bastão para a geração de LeBron James e companhia. Mesmo sem o brilho de outrora, estes veteranos são marcantes, pois foram responsáveis, ao lado Shaquille O’Neal e Allen Iverson, por manter o apelo mercadológico da liga após o adeus de Michael Jordan.

Depois de garantir o título da última temporada, e encerrar um jejum de 52 anos sem conquista da cidade de Cleveland nas grandes ligas americanas, o astro do Cleveland Cavaliers reconhece que sua geração será a próxima a se despedir. “A nossa é a próxima. Essa é a sensação. Eu, (Dwyane) Wade, Melo (Carmelo Anthony), (Chris) Bosh... Somos os próximos. É a nossa vez, é isso que sinto. É a nossa vez porque estamos atrás desses caras. Se olhar bem, somos o próximo grupo”, disse o ala, que busca sua sétima final consecutiva na NBA.

Todos esses jogadores citados entraram na disputa em 2003, e, junto com Chris Paul e Dwight Howard, também vão ajudar a entregar à geração seguinte uma competição cada vez mais estruturada e milionária. Apenas como comparação, Garnett deixou o basquete profissional como o jogador que mais recebeu salários. Foram US$ 335 milhões (R$ 1,05 bilhão) em 21 anos, sem contar os contratos de publicidade.

Apesar da existência do teto salarial que visa manter a competitividade do torneio, com os lucros proporcionados nos últimos anos por essas estrelas, o patamar dos valores explodiu. O máximo que um jogador pode ganhar beira US$ 153 milhões (R$ 480 milhões) por cinco anos. No ano que vem, este teto vai aumentar ainda mais. Logo, um novato como Ben Simmons, primeira escolha do draft deste ano do Philadelphia 76ers, tem tudo para embolsar o que Garnett recebeu em pouco mais de 10 anos.

FAVORITOS

Atual campeão e sem perder nenhuma grande peça, o Cleveland Cavaliers, de LeBron James, desponta como favoritos para conquistar o título da Conferência Leste e disputar mais uma final. Quem pinta como adversário no Oeste é novamente o Golden State Warriors. A franquia de Oakland fez o que parecia impossível: se reforçou. Além de contar com Stephen Curry, melhor jogador da NBA nas últimas duas temporadas, Klay Thompson e Draymond Green conseguiram a aquisição de Kevin Durant, ex-jogador do Oklahoma City Thunder e cestinha da NBA em quatro oportunidades.

O brasileiro Anderson Varejão continua nos Warriors, que perderam nomes importantes para conseguir abrir espaço para incorporar mais um astro em seu plantel. Entre as baixas está Leandro Barbosa, que volta ao Phoenix Suns, sua primeira equipe na NBA, para servir de mentor ao jovem elenco.

Outro brasileiro que também trocou de equipe foi Nenê. Depois de quatro temporadas no Washington Wizards, o pivô vai atuar no Houston Rockets. Marcelo Huertas (Los Angeles Lakers), Cristiano Felício (Bulls), Raul Neto (Utah Jazz), Tiago Splitter (Atlanta Hawks), Bruno Caboclo e Lucas Bebê (Toronto Raptors) são os outros representantes do País.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.