NBB mira expansão em sua segunda temporada

Liga Nacional de Basquete procura apoiar os 14 clubes que participarão da competição

21 de outubro de 2009 | 17h28

A segunda edição do Novo Basquete Brasil, o NBB, começa no dia 1.º de novembro com uma missão: tornar o basquete - hoje figurando apenas em quinto esporte coletivo no interesse no público - em produto rentável para o mercado brasileiro.

Para tanto, a organizadora do campeonato, a LNB (Liga Nacional de Basquete) tem como meta ampliar a temporada com jogos mais atraentes para manter uma boa média de público durante toda a competição. "A responsabilidade aumenta a cada etapa", destaca o ex-jogador Marcelo Vido, membro do Conselho de Marketing da LNB e há cinco anos responsável pelo marketing do Pitágoras/Minas.

De acordo com Vido, a distribuição de recursos entre os clubes participantes será fundamental para o sucesso da competição. "Temos de pensar a LNB como um produto rentável, buscando recursos para distribuir o mais igualitariamente possível".

Dentro de tal pensamento, o presidente da LNB, Kouros Monadjemi, disse que o principal objetivo é manter o nível entre os clubes equilibrado. "Nossa primeira atitude é melhorar tecnicamente as equipes e fortalecer os mais fracos. Criamos uma expectativa no público e não podemos deixar de atender a essa demanda. Queremos melhorar a cada ano. Por isso, colocamos o limite de três estrangeiros por time, o que pode mudar no futuro".

Apesar da necessidade de expandir a liga, Monadjemi afirma que tudo será feito com calma e muito bem planejado para não ocorrer equívocos. "Várias equipes com tradição no basquete nos procuraram para saber como participar da competição. A segunda temporada é a hora de colher os frutos do trabalho feito, mas não nos interessa apenas a quantidade, queremos qualidade".

Até o momento, a priorização das vagas é dos sócios-fundadores da LNB. "Temos consciência de que há potencial para o basquete em todos os campos", complementa Luís Fernando Silva, o Luisão, diretor de Basquete do Joinville e também membro do Conselho de Marketing da LNB.

Na segunda edição, o NBB contará com 14 equipes: Universo/BRB/Financeira Brasília, Pitágoras/Minas, Cetaf, Saldanha da Gama, Flamengo, São José/Unimed/Vinac, Pinheiros/Sky, Paulistano/Amil, GRSA/Itabom/Bauru, Amigão/Andorinha/Assis, Araraquara/Palmeiras, Vivo/Franca, Londrina e Ciser/Araldite/Univille/Joinville. O Flamengo foi o primeiro campeão e defende o título.

Tudo o que sabemos sobre:
NBBLNBbasquete

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.