Negociação fechada: Shaq agora é do Phoenix Suns

Astro da NBA vai para o time de Leandrinho, que sonha em conquistar o título da NBA

Alan Rafael Villaverde, estadao.com.br

07 de fevereiro de 2008 | 01h32

Arquivo/AECom quatro títulos na bagagem, o pivô Shaquille O'Neal chega para ajudar o Phoenix Suns de Leandrinho e Steve Nash a finalmente conquistar o título da NBA; tarefa não será fácilSÃO PAULO - Como esperado, o Phoenix Suns oficializou, nesta quarta-feira à noite, a chegada do astro Shaquille O´Neal para finalmente lutar pelo título da NBA, uma vez que a equipe do brasileiro Leandrinho precisava desesperadamente de um jogador com tais características. Em troca, os Suns deram o ala Shawn Marion e o armador Marcus Banks para o Miami Heat, que começa seu processo de reestruturação. "Prometo não decepcioná-los", esta seria a frase dita por Shaq ao líder do Phoenix Suns, o astro Steve Nash, assim que a troca foi oficializada entre os dois times da NBA. Apesar das palavras, Shaquille O'Neal terá que provar que a série de contusões que vem sofrendo desde a última temporada não será problema em seu novo clube, o quarto na NBA (Orlando Magic e Los Angeles Lakers e Miami Heat).O tetracampeão da NBA (três vezes com os Lakers e uma com o Miami) chega para reposicionar Amare Stoudemire, que não suporta mais jogar como pivô, já que possui problemas em ambos joelhos. Com Shaq, a expectativa é que o time tenha um ponto de referência fixo no garrafão, e Stoudemire tenha mais liberdade para jogar. Além disso, Nash teria um ponto de triangulação de jogadas, acabando, um pouco, com o jogo de transição dos Suns, que nunca foi o suficiente para levá-los à final da NBA.Shaq, no entanto, vive seu pior momento na NBA, com médias de 14,2 pontos e 7,8 rebotes. O pivô, inclusive, ficou de fora do All-Star Game (jogo entre os melhores da Conferência Leste e Oeste) pela primeira vez em sua carreira. Ele tinha 14 aparições consecutivas.Para o Heat, a chegada de Marion e Banks significa mais uma transição do que a montagem de um time, já que Marion terá seu atual contrato encerrado ao final da temporada, e a diretoria do Miami não pensa em renovação, a não ser que o atleta se entrose com a estrela do time, Dwyane Wade. O mesmo acontece com Marcus Banks, que tem um salário muito alto pelo basquetebol que possui. Assim, a intenção do Miami é limpar o elenco ao final da temporada, pegar uma boa escolha no Draft da NBA (já que possui a pior campanha da temporada regular) e recomeçar do zero, ainda mais pelo fato de não ter mais que pagar os US$ 20 milhões anuais a Shaq, relativos ao seu salário.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.