Nenê Hilário vira atração no shopping

Com bolas de basquete, máquinas fotográficas, camisas número 31 do Denver Nuggets, papel e caneta nas mãos, centenas de fãs mal podiam esperar pela chegada do pivô Nenê Hilário, do Denver, neste domingo à tarde, na Loja Centauro, no Shopping Eldorado. ?Quase não dormi, estou tremendo", disse Vinícius Sampaio, de 9 anos. Nenê chegou bem à vontade, vestindo bermuda, camiseta e boné, acenou para a longa fila. Mas disse que ficou surpreso com a multidão. Ele foi recebido com aplausos e muita histeria dos fãs. ?Não imaginava ver tanta gente assim. Fico feliz de poder incentivar esta molecada." Vinícius Sampaio chegou com uma hora de antecedência e era um dos primeiros da fila. Comprou uma bola oficial da NBA especialmente para Nenê autografar. ?Nem acredito que consegui, acho que hoje vou dormir tranqüilo." Mas estava tão nervoso que não conseguiu dizer nada do que tinha planejado para o ídolo. ?Queria dizer que quando crescer quero ser tão bom quanto ele." Para ver Nenê valia qualquer sacrifício. Gabriel Monteiro, 10 anos, estava queimando de febre, mas nem um pouco preocupado se no dia seguinte ficaria pior. ?Tudo vale a pena para chegar perto dele. Ainda vou jogar na NBA", disse ainda na longa fila. Em meio ao tumulto havia até torcedora de outro time da NBA que não se importou em usar o boné do Los Angeles Lakers e pedir um autógrafo a Nenê. ?Torço para o Lakers, mas gosto do Nenê", disse Maria Clara, de 8 anos, jogadora de basquete. Maria saiu de Sorocaba acompanhada do pai e do irmão. Nesta segunda-feira, Nenê participa de uma clínica no Clube Pinheiros com o argentino Emanuel Ginóbili, o ?Manu", do San Antonio Spurs, e Leandrinho, do Phoenix Suns. Depois segue para o Rio, Buenos Aires e Brasília. No Distrito Federal, conversará com Agnelo Queiroz, o ministro dos Esportes, para tentar viabilizar um projeto social em São Carlos, que vai ensinar basquete, inglês e informática para crianças carentes.

Agencia Estado,

06 de julho de 2003 | 19h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.