Nenê lança curso de inglês online

Já acostumado com o ?tranco" da NBA, o brasileiro Nenê Hilário, que vai para sua segunda temporada no Denver Nuggets, teve uma passagem rápida pelo Brasil para lançar seu primeiro produto no País: um curso de inglês online. Ele chegou quarta-feira e nesta sexta volta para os Estados Unidos para treinar para a pré-temporada da NBA. Com parte da renda com o novo negócio, o pivô de 21 anos quer ajudar a manter o time de basquete de São Carlos, cidade onde começou a jogar basquete. ?Decidi investir em um curso de inglês porque me lembrei das dificuldades que tive quando cheguei lá nos Estados Unidos. Com esse dinheiro pretendo ajudar os esportes de São Carlos." Apesar disso, Nenê admite que sua fluência do inglês ainda não é das melhores. ?Na hora da bronca eu finjo que não entendo. O basquete tem uma linguagem universal, é só eu olhar ali na prancheta que eu já entendo tudo o que preciso fazer. Se bem que lá nem eles mesmo entendem o que os outros falam. Eu entendo o que eles falam, e até falo um pouco, mas ainda não consigo manter um diálogo muito longo." Embora estivesse bastante descontraído, Nenê estava sofrendo por antecipação, já pensando na próxima temporada da NBA. ?Volto nesta sexta-feira já para o Training Camp, que são 11 dias de treino pesado antes da pré-temporada. Lá eu vou ter de ser um tipo de Highlander (guerreiro imortal) para agüentar." Para o brasileiro, o primeiro objetivo traçado quando foi para os Estados Unidos foi cumprido. ?O que eu mais queria era me destacar entre os calouros - fiz a minha parte. O próximo passo é conseguir participar do Time das Estrelas (dos atletas que estão no segundo ano, os Sophomores). Só que ainda tenho muito a fazer, treinar mais para continuar melhorando." Arremessar de longe do garrafão é o ponto que Nenê vai melhorar para a próxima temporada. ?Nesse primeiro ano, joguei muito bem embaixo do garrafão, fazendo uma série de enterradas. Se eu conseguir melhorar nos arremessos mais de longe, vai ser difícil me segurarem", ressalta. ?Já o objetivo do time é melhorar o número de vitórias e pegar mais experiência. Somos um time jovem, que daqui a alguns anos vai estar bem melhor." Quanto a ter ficado fora dos próximos Jogos Olímpicos com a seleção brasileira, Nenê conta. ?Todos ficaram muito tristes e sentiram na pele o que é ficar sem a vaga para uma Olimpíada. Só que não adianta ficar chorando o leite derramado. Esse time é bastante jovem, e o processo de renovação tem seus sacrifícios. Esse grupo pode jogar mais dez anos junto e o que faltou no Pré-Olímpico foi experiência mesmo." O pivô acredita que aprendeu a lidar com derrotas a partir do momento que passou a disputar a NBA. ?A maior lição que aprendi lá foi que pode cair um dilúvio num dia, que no outro o sol vai aparecer. Lá, se você perde um jogo, já tem de pensar que amanhã tem outro, e que será duro de novo. Eu sofri muito porque ficava repensando nos meus erros, na derrota." Quanto aos outros brasileiros que já estão seguindo seus passos - como Leandrinho, já no Phoenix Suns, e Alex, que está treinando no San Antonio Spurs - Nenê afirma que em breve outros brasileiros devem se destacar na Liga Norte-Americana. ?Vai depender apenas deles e do esforço que eles fizerem para ficar lá. Fazer a pré-temporada já seria muito bom para eles. O Alex tem uma boa explosão, joga com um jeito similar dos americanos. Sem contar outros brasileiros que estão jogando nas universidades de lá. Também tem o Tiago Spliter e o Anderson Varejão, que devem vir para o próximo draft."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.