Nenê recebe conselhos de Michael Jordan

Logo depois de participar do jogo que garantiu a participação do Denver Nuggets nos playoffs da NBA, na segunda-feira, o pivô brasileiro Nenê teve uma surpresa. Entrou em uma sala para tratar de dores que sentia na mão e deu de cara com seu companheiro de equipe, Carmelo Anthony, conversando com Michael Jordan. Os conselhos que ouviu do maior jogador de basquete da história, Nenê contou em uma entrevista coletiva por telefone nesta quarta-feira. Também falou o que precisa melhorar em seu jogo para ser uma estrela da NBA. Oitavo lugar da Conferência Oeste, o Denver estréia sábado nas finais, contra o primeiro colocado (San Antonio Spurs ou Minnesota Timberwolves).Agência Estado - Como foi para você e para os outros jogadores levar o Denver de volta aos playoffs após nove anos?Nenê - Estou imensamente feliz de deixar o Denver entre os principais times da NBA. Ao sairmos do estádio depois do jogo contra o Sacramento, tinha muita, mas muita gente comemorando nas ruas. A gente até foi cumprimentar alguns deles. Foi emocionante.AE - Qual a principal diferença da equipe do ano passado, que obteve apenas 17 vitórias, para hoje, quando soma 43?Nenê - A equipe trabalhou muito forte na pré-temporada e muitos times não estavam acreditando no Denver. Isso foi a força que tivemos. Demonstramos que o Denver é um time competitivo e calamos a boca dos outros.AE - E para o seu jogo, qual a maior mudança? Nenê - No ano passado, a bola chegava muito mais para mim, porque não tinha jogadores de fora que chutassem. Este ano, tem o Carmelo (Anthony), o Voshon (Lenard), o Andre Miller, que são bons chutadores e agora está repartido. Mas não tenho o que reclamar. Em time que está ganhando não se mexe.AE - O Shaquille O´Neal deu uma entrevista recente e disse que não havia percebido que Nenê e Hilário eram a mesma pessoa. No entanto, acabou falando que você tinha um bom jogo. Você imaginava ser reconhecido por jogadores como o Shaq , que no Brasil você assistia na TV? Nenê - Eu não imaginava, mas depois que a gente entra na NBA tudo acontece. Eu sempre marquei o Shaquille nos jogos contra os Lakers e ele sabia como era dureza. Então, acho que foi por isso que falou essas coisas (risos). É gostoso isso. Por exemplo, depois que acabou o jogo contra o Sacramento, fui fazer tratamento e encontrei o Carmelo (Anthony) conversando com o (Michael) Jordan. Eu entrei, e eles começaram a conversar e fazer umas brincadeiras comigo.AE - E o que o Michael Jordan disse para você? Nenê - Ele falou umas coisas com o Carmelo e eu não entendi direito. Depois falou para eu continuar assim, que eu estou jogando bem para caramba e para manter a humildade. Disse que torce para que o Denver cresça, ainda mais com o Carmelo sendo "filho" dele (Carmelo e Jordan são amigos).AE - Nos últimos jogos você tem feito arremessos de média distância, mais longe do garrafão. Já é um aprimoramento no seu jogo? Nenê - Isso eu treinei desde o verão passado, mas para fazer na quadra é diferente. Não adianta eu ter um bom arremesso se eu não tenho confiança. Isso tem que acontecer e está acontecendo. Daí para frente é melhorar e aí, vai ser difícil me marcar. AE - Quem é favorito ao título?Nenê - Depois disso tudo, o favorito ao título é o Denver. Em segundo, o Los Angeles Lakers.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.