NLB não segue as regras antidoping

Fernando Minucci, diretor de Basquete do Franca, não apóia vetos a atletas de clubes da Nossa Liga de Basquete (NLB) na seleção brasileira. ?Como ex-jogador, sou contra atrapalhar a carreira de alguém. O atleta deve ser convocado independentemente do clube que defende?, afirmou o ex-jogador. Mas Minucci, que integra a Comissão Executiva do Campeonato Nacional, organizado pela Confederação Brasileira de Basquete (CBB), observa que se a liga defende o direito de o atleta, como federado, ser chamado para a seleção, também deveria seguir as regras da Federação Internacional de Basquete (Fiba) para casos de doping. ?O Vanderson, que disputará o campeonato da NLB no Keltek/Paraná, está suspenso por dois anos pela Fiba por doping?, lembrou Minucci. Para ele, em vez de se unir pela qualidade, o ?basquete está se dividindo pela ruindade?.Segundo Minucci, Franca, filiada à NLB, decidiu disputar o Nacional da CBB por causa da publicidade que o clube já tinha comercializado, incluindo o adesivo da Philips no centro da quadra, um recurso importante. ?A NLB tem regras que não podemos seguir nessa área?, justificou.Ele explicou que isso não significa ser contra ou a favor de uma ou outra entidade. ?Nosso ginásio é explorado e não tínhamos como mudar isso. Já o Paulistano decidiu disputar o Nacional por questões estatutárias?, afirmou.Franca e Paulistano foram os últimos clubes que trocaram o torneio da NLB pelo Nacional.

Agencia Estado,

15 de outubro de 2005 | 10h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.