No basquete, agora é a vez das meninas

Encerrada a participação da seleção brasileira masculina de basquete na Copa América, agora é a seleção feminina que faz os ajustes finais para a competição, que também será em Santo Domingo, na República Dominicana. As adversárias da estréia serão as argentinas e a partida está prevista para o próximo dia 14. Na seqüência, o time do técnico Antônio Carlos Barbosa terá como adversários Porto Rico (dia 15), Canadá (16), República Dominicana (17) e Cuba (18). Com a desistência das seleções da Guatemala e da Colômbia, a competição será disputada em turno único, sendo campeã a seleção que somar o maior número de pontos. As três primeiras colocadas garantem a vaga no 15º Campeonato Mundial, que será no Brasil, em 2006. Por ser o país sede, as brasileiras já têm vaga garantida, assim como os Estados Unidos, atuais campeões olímpicos. Para a estréia contra a Argentina, Barbosa pede cautela: "A Argentina veio jogar a Copa Eletrobrás no Brasil com um time melhor que o do Sul-Americano. É uma boa equipe, que sabe trabalhar bem a bola, erram pouco e tem um bom conjunto. Mas levamos muita vantagem fisicamente e na velocidade." O segundo adversário, Porto Rico, ainda é uma incógnita para o treinador brasileiro. "Faz algum tempo que não enfrentamos essa equipe. Porto Rico se classificou para o Mundial Sub-19, o que mostra que está sendo feito um trabalho no país, embora ainda não tenha muita tradição no basquete feminino. Mas o retrospecto contra essa seleção é muito favorável", disse Barbosa. Segundo o técnico brasileiro, a equipe de Cuba vai dar trabalho. "Elas devem ir para a Copa América reforçada pelas atletas que estavam machucadas, como a armadora Castillo, a ala Soria, que é a melhor jogadora cubana, e a pivô Boulet. É uma grande equipe que sempre chega para ser campeã", avisou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.