Alexandre Vidal / Divulgação
Alexandre Vidal / Divulgação

No Flamengo, Leandrinho prevê impasse longo na NBA

Armador comemora o fato de ter voltado a jogar no Brasil

AE, Agência Estado

19 de agosto de 2011 | 15h11

Recém-contratado pelo Flamengo, o ala/armador Leandrinho foi apresentado oficialmente nesta sexta-feira como reforço da equipe para a próxima temporada. Apesar de ter assinado contrato até o final do ano, o período de permanência do jogador dependerá da greve da NBA. Caso os jogadores cheguem a um acordo coletivo de trabalho antes do término de seu vínculo com o clube carioca, ele será obrigado a voltar para o Toronto Raptors, seu time na liga norte-americana.

"Os contratos dizem que todos os jogadores que estão fora devem voltar aos seus clubes assim que a greve acabar. Mas pelo que fiquei sabendo, a situação está bem complicada. Vários jogadores já fecharam contratos com outras equipes e acho que a NBA vai demorar para voltar. O meu pensamento agora é voltar às quadras em boa forma e ajudar o Flamengo no que for possível", declarou.

A NBA está em greve desde o dia 1º de julho. A Associação de Jogadores de Basquete Nacional (NBPA, na sigla em inglês) já se reuniu com a liga, mas o acerto entre as partes ainda parece distante. Com isso, a Federação Internacional de Basquete (Fiba) permitiu que os jogadores da NBA procurem outras equipes para jogar enquanto o impasse durar, o que permitiu o acerto entre Leandrinho e Flamengo.

"Queria agradecer muito ao Flamengo pela oportunidade. Tudo começou mesmo como uma paquera. A vontade que eu tenho de no meu país sempre foi muito grande e é um momento muito especial para mim. É um time onde todo atleta tem um desejo muito grande de jogar e isso só me deixa mais feliz por estar aqui", afirmou o ala/armador.

Será a primeira vez desde 2003 que o jogador atuará no Brasil, quando deixou o Bauru para tentar a sorte no Draft da NBA - acabou sendo escolhido pelo San Antonio Spurs, mas trocado com o Phoenix Suns. "São 10 anos sem passar natal e ano novo com a minha família e eu sinto muita falta e muitas saudades do meu país. Graças a Deus deu tudo certo. Morar fora é muito bom, você conhece novas culturas, novos lugares, mas estar aqui não tem preço", disse.

Em sua nova equipe, Leandrinho atuará com a camisa 28 e não com a 10, com a qual gosta de jogar, que pertence ao ala/armador Duda. "Esse número tem um significado para mim. É a minha idade, também é uma data muito importante para a minha família. Minha mãe gostava muito desse número e dedico esse momento a ela", explicou.

Tudo o que sabemos sobre:
basqueteFlamengoLeandrinhoNBA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.