Marcelo Pires/CBB/Divulgação
Marcelo Pires/CBB/Divulgação

No maior desafio de Petrovic, Brasil pega Canadá pelas Eliminatórias

Seleção brasileira estreia na segunda fase no classificatório para o Mundial nesta quinta-feira contra time com jogadores da NBA

O Estado de S.Paulo

13 Setembro 2018 | 05h00

O técnico Aleksandar Petrovic terá o seu maior desafio no comando da seleção masculina de basquete nesta quinta-feira, às 20h30 (horário de Brasília), na Place Bell Arena, em Laval, no Canadá, com transmissão do SporTV2. Na abertura da segunda fase das Eliminatórias das Américas para o Mundial de 2019, o Brasil encara os anfitriões, seleção mais forte do Grupo F e que contará com cinco jogadores que atuam na NBA.

Tristan Thompson (Cleveland Cavaliers), Kelly Olynyk (Miami Heat), Dillon Brooks (Memphis Grizzlies), Justin Jackson (Orlando Magic) e Cory Joseph (Indiana Pacers) estão na lista do técnico Roy Rana para o jogo, o último em que os atletas da NBA foram liberados para atuar.

Pelo lado brasileiro, Petrovic não conseguiu contar com Cristiano Felício e Raulzinho. O pivô, que atua no Chicago Bulls, foi vetado por causa de cláusulas restritivas existentes no seguro efetivado pela Fiba junto à empresa oficial da NBA. Já o armador do Utah Jazz não pôde participar da janela por causa de um pedido da franquia para ele retornar aos treinos duas semanas antes do previsto.  

"Estamos começando esta janela com um jogo bastante complicado. O Canadá é o time mais forte do grupo, que também está jogando em casa e com uma equipe completa, com os jogadores que atuam na NBA", analisou Petrovic.

Para conseguir se classificar para o Mundial da China, em 2019, o Brasil precisa ficar pelo menos entre os três primeiros do grupo com Venezuela, Ilhas Virgens, República Dominicana, Chile, além do Canadá. Se for quarto, terá de ser melhor do que o quarto colocado da outra chave, com EUA, Argentina, Porto Rico, Uruguai, Panamá e México

A seleção brasileira carrega os resultados da primeira fase das Eliminatórias contra Venezuela (uma vitória e uma derrota) e Chile (duas vitórias). 

"Contamos com alguns jogadores experientes, uma molecada talentosa que está chegando e temos tudo para conquistar coisas boas, começando com uma vitória aqui no Canadá", afirmou o pivô Augusto Lima, que será muito importante no jogo desta quinta-feira por causa da ausência de Rafael Hettsheimeir. O pivô de Franca sofreu uma fratura no pé esquerdo e teve de passar por cirurgia.

"O Petrovic pediu principalmente para que eu coloque em prática o que costumo fazer, que é marcar forte e dar energia para o time. Claro que quando tiver chance ele quer eu chute também. Sabemos da qualidade do time deles, que terá vários jogadores da NBA, mas o jogo é ganho dentro de quadra", afirmou Augusto Lima.

Além do pivô que atua no Cedevita de Zagreb, da Croácia, Petrovic aposta na experiência de Marcelinho Huertas, Leandrinho e Varejão, além da juventude e energia do armador Yago, do Paulistano. 

"Nós já nos conhecemos bem, estamos trabalhando duro e temos de continuar jogando na nossa correria e marcar muito forte. Sabemos que será um jogo um pouco mais difícil do que foi contra a Venezuela, que infelizmente perdemos, mas acho que eu, o Huertas e o Varejão, que somos os mais experientes, sabemos bem o que precisamos fazer para ganharmos", afirmou Leandrinho.

Nesta janela, além do Canadá nesta quinta-feira, o Brasil enfrenta Ilhas Virgens, no domingo, às 21h, na Goiânia Arena. A próxima janela será em novembro e dezembro, quando a seleção brasileira encara República Dominicana, dia 30, e Canadá, dia 3, ambos como mandante. A última janela será apenas em fevereiro de 2019.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.