NYT: Fãs dos Knicks comem de graça e 'cospem' em Thomas

Ex-jogador da NBA passa por momento conturbado e deve deixar o comando do tradicional New York Knicks

Howard Beck, The New York Times

15 de abril de 2008 | 16h36

Os Knicks agradeceram aos seus fãs, de irracionalidade leal e atormentada, com cachorro-quente, pipoca, pizza e pretzel de graça, na noite de ontem (segunda-feira, dia 14), no Madison Square Garden. A direção do clube chamou a iniciativa de "noite de apreciação ao fã", mas os fãs facilmente trocariam a comida por algo mais valioso, como a demissão do técnico Isiah Thomas. Este "presente" à torcida dos Knicks está perto de acontecer. Mas por mais uma noite, Thomas perambulou pelos corredores do ginásio, fez discursos otimistas e assistiu ao seu time tentar recuperar um pouco do auto-respeito diante do rival Boston Celtics.Vaias aplacaram Thomas antes do início do jogo, e elas certamente seriam maiores se todas as bocas não estivessem estufadas com comida de graça. Mesmo assim, não há como escapar da realidade da noite: o último jogo em casa dos Knicks na temporada marcada por fracassos.A temporada termina na quarta-feira diante do Indiana Pacers, em Indiana, e o "reinado" de Isiah Thomas deve terminar no mesmo dia. Donnie Walsh, que recentemente assumiu o lugar de Thomas como presidente do clube, deve tomar uma decisão sobre o futuro do ex-jogador no comando da equipe.Thomas não traiu sua atitude mais evidente, de evitar o que se passa ao seu redor, e negou que tenha pensado que este foi o seu último jogo à frente dos Knicks, no Madison Square Garden. "Realmente não deixei que minha mente fosse a tal ponto [possível último jogo, em casa, como treinador dos Knicks]". Ele estava sorrindo e falando abertamente sobre o futuro dos Knicks, mesmo se tal futuro não o inclua no banco de reservas da equipe. Mas ele mostrou consciência, pela primeira vez, sem especificamente dizer, que seu emprego está por um fio. "Nos esportes, nós estamos condicionados a viver num lugar de incertezas. Você aprende a conviver com isso e esperar pelo momento que isto realmente venha a acontecer. Eu estou tranqüilo com a situação que me encontro."Walsh não deu dicas sobre sua decisão em relação ao técnico dos Knicks, a não ser que ainda não tem uma decisão. O insólito conselho, sobre o que Walsh deve fazer, veio durante a partida, com cantos vindos de diferentes setores do ginásio, pedindo a demissão do treinador.A presença dos Celtics na partida foi apropriada. Foi a sua vitória acachapante por 104 a 59 sobre os Knicks, no dia 29 de novembro do ano passado, que sinalizou o quanto desastrosa a temporada tem sido para os Knicks, que tiverem sete séries negativas, de pelo menos cinco derrotas, incluindo duas séries de sete derrotas consecutivas e mais duas de oito derrotas.Pelo caminho, Thomas teve brigas com Stephon Marbury e perdeu a confiança de boa parte dos jogadores. Zach Randolph, que foi a grande aquisição da equipe na pré-temporada, teve um péssimo desempenho com o time titular. Eddy Curry, que foi a grande contratação de 2005, teve um desempenho tão ruim quanto Randolph.David Lee, o jogador mais popular dos Knicks, e uma rara luz na temporada da equipe, foi, não por coincidência, escolhido para conversar com os torcedores antes do jogo contra os Celtics. Lee pegou o microfone, agradeceu aos fãs pelo apoio e disse, desculpando-se: "Eu sei que não foi do jeito que qualquer um de nós gostaríamos que tivesse sido."Lee prometeu que os Knicks continuariam com "o trabalho" no futuro. Pessoas aplaudiram educadamente e depois voltaram a prestar atenção às suas respectivas pizzas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.