Ezra Shaw/AFP
Ezra Shaw/AFP

Odiado por 'seguir passos' de LeBron, Durant é eleito o MVP das finais

Ala teve atuação impecável contra o Cleveland e conquistou o título que tanto desejava

O Estado de S.Paulo

13 de junho de 2017 | 01h01

Quando Kevin Durant anunciou que deixaria o Oklahoma City Thunder para se juntar ao Golden State Warriors, ao final da última temporada, enquanto os fãs do time californiano comemoravam a contratação de um astro, os torcedores dos outros times se revoltaram, achando que aquilo poderia causar um forte desequilíbrio na liga e a lembrança de quando LeBron James decidiu deixar o Cleveland Cavaliers para "levar seus talentos" para o Miami Heat foi inevitável.

Na ocasião, em 8 de julho de 2010, o astro anunciou sua mudança de time em um programa de TV, com grande cobertura da mídia especializada no mundo inteiro. O jogador optou por deixar o time de sua cidade natal para atuar ao lado de Dwayne Wade e Chris Bosh, outras duas grandes estrelas da NBA, e ter chance real de ganhar um título, algo que não conseguiu nos sete primeiros anos de sua carreira.

A aposta deu certo e LeBron chegou em quatro finais enquanto defendeu o Heat, ganhando o título em duas oportunidades. Mas se o sucesso esportivo veio, o jogador criou animosidade com os demais torcedores, que o acusaram de formar uma "panela" com seus amigos e desequilibrar a liga, exatamente o que aconteceu mais recentemente com Durant. MVP da temporada 2013/2014, ele chegou em um time fortíssimo, finalista nos dois anos anteriores e dono da melhor campanha da história em 2015/2016, com 73 vitórias em 82 jogos.

Apesar de passar a fazer parte de uma equipe que já contava com estrelas do quilate de Stephen Curry, Klay Thompson e Draymond Green, Durant não se intimidou e rapidamente mostrou sua qualidade, se consolidando como principal arma ofensiva dos Warriors. Se na temporada regular foi o segundo em pontuação - 25,1 pontos por jogo, contra 25,3 de Curry, na fase final ele assumiu a responsabilidade e teve médias incríveis na série decisiva, com 35,2 pontos, 5,4 assistências e 8,4 rebotes.

Com números como esses, Durant foi uma escolha quase unânime como jogador mais valioso da final, superando seus companheiros e também LeBron James, que, apesar de derrotado, teve média de triplo-duplo. Ele, porém, não "quebrou a escrita" que dura desde 1969, quando, pela única vez, um atleta derrotado na decisão foi eleito MVP. Na ocasião Jerry West, do Los Angeles Lakers, conquistou a honraria apesar da derrota para o Boston Celtics.

Tudo o que sabemos sobre:
BasqueteNBA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.