Oscar, 43 anos, longe da aposentadoria

Oscar completa 43 anos, nesta sexta-feira, fazendo o que mais gosta na vida, depois da família: jogar basquete, a paixão que o levou para as quadras e que é tão intensa que não lhe permite prever quando vai parar. Nem mesmo as dificuldades físicas naturais da idade - como saltar e continuar sendo rápido e ágil. Nem mesmo as críticas que o cestinha nato - a pontaria certeira lhe deu o apelido de Mão Santa - ouviu sobre o que seria "uma forma ultrapassada de jogar", como as feitas pelo técnico da seleção brasileira, Hélio Rubens, um amante da defesa. Nem mesmo os três meses de salários atrasados do Flamengo, que planeja fazer uma homenagem a Oscar no treino.Leia matéria completa no Estado

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.