Ourinhos e Unimed voltam à quadra hoje

A ausência das jogadoras da seleção brasileira - metade do grupo que obteve vaga no Pré-Olímpico para os Jogos de Atenas está na Europa - e a superioridade do time de Ourinhos em relação aos demais participantes, tornou a 6.ª edição do Campeonato Nacional Feminino previsível, monótona e paulista - das oito equipes participantes, seis eram de São Paulo. O torneio chega hoje ao terceiro jogo da série melhor-de-cinco da final, com o confronto entre Pão de Açúcar/Unimed/Ourinhos e Unimed/Americana, às 15h30, no ginásio Monstrinho, em Ourinhos (com SporTV).O playoff decisivo está empatado por 1 a 1. Em casa, Americana venceu o primeiro jogo, na quarta-feira, por 80 a 59. Na sexta-feira, foi a vez de Ourinhos jogar em sua quadra e empatar a série, com vitória por 88 a 74. O quarto jogo será terça-feira, em Americana.Ourinhos, que tem Janeth, Érika e Silvinha, em um elenco que contou com o apoio de mais de um patrocinador, formado por jogadoras das seleções principal e juvenil, venceu 17 jogos seguidos e começou o playoff com 34 pontos na classificação, o melhor ataque (média de 89,2 por jogo) e a melhor defesa (média de 61,6 pontos contra por partida). Na semifinal, Ourinhos derrotou o Sírio Black&Decker, de Uberaba, por 3 a 0.A monotonia da série consecutiva de vitórias de Ourinhos só foi quebrada na primeira partida da final, por Americana, equipe que confirmou a condição de segunda força (somou 32 pontos, em 15 vitórias e 2 derrotas, vencendo São Caetano na semifinal).Quando acabar o Nacional, resta ao basquete feminino esperar a volta de Adrianinha, Helen, Iziane, Alessandra, Cíntia e Kelly, que estão na Europa, juntar a seleção e começar o trabalho para a temporada olímpica. A equipe ganhou, em 2003, o Sul-Americano, o bronze no Pan de São Domingos e, no Pré-Olímpico, a única vaga em jogo para Atenas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.