Larry W. Smith/EFE
Larry W. Smith/EFE

Pelo segundo ano seguido, Durant é eleito o MVP das finais da NBA

Ala de 29 anos comandou o Golden State Warriors na vitória sobre o Celeveland Cavaliers por 4 a 0 na série

Estadão Conteúdo

09 Junho 2018 | 05h50

O ala Kevin Durant voltou a superar o ala-armador Stephen Curry para ser eleito novamente o MVP (Jogador Mais Valioso) das finais da NBA, na noite desta sexta-feira. A conquista coroou a noite de Durant, que foi destaque na vitória do Golden State Warriors sobre o Cleveland Cavaliers por 108 a 85. O triunfo deu ao Warriors mais um título da NBA.

Golden State Warriors vence Jogo 4, 'varre' Cavaliers e conquista o título da NBA

"Eu apenas estou tentando provar para mim mesmo que eu posso jogar por mais tempo. E espero continuar a ter sucesso. Continuar crescendo como jogador... Esta é a minha única preocupação", afirmou o jogador de 29 anos, que foi novamente decisivo para o Warriors, em Cleveland.

Durant se destacou no terceiro e no quarto jogo da série final, encerrada com uma "varrida" do seu time por 4 a 0 sobre a equipe de LeBron James. Na noite desta sexta, ele terminou o jogo com um "triple-double" de 20 pontos, 10 assistências e 12 rebotes. No terceiro jogo da decisão, ele havia anotado 43 pontos, 13 rebotes e sete assistências.

O ala se tornou o sexto jogador da história a ser eleito MVP das finais por duas temporadas seguidas. Assim, voltou a deixar para trás o companheiro Curry, que também era cotado para levar o prêmio decidido por um painel de 11 jornalistas. Sete deles votaram a favor de Durant e quatro para Curry.

"Isso realmente importa? Nós ganhamos dois títulos, e foram consecutivos. Eu não acho que alguém se importe com isso [MVP]", minimizou Durant. "Todos nós queremos algo que é maior do que nós. Adoramos ver o outro ser bem-sucedido em quadra. Adoramos entrar em quadra e buscar as soluções a cada jogo."

O sexto troféu da história do Warriors voltou a consagrar também o técnico Steve Kerr. Sob o seu comando, a equipe foi campeã em três das últimas quatro temporadas. "Com certeza, este foi o título mais difícil deles", disse o treinador, referindo-se às oscilações da equipe ao longo da temporada regular. E também ao susto na final da Conferência Oeste, quando o Warriors só conseguiu eliminar o Houston Rockets no sétimo e último jogo.

"Espero que isso não soe arrogante. Mas se trata do talento que temos aqui e da experiência que conquistamos. Mas é um sentimento muito diferente. Ainda estamos eufóricos. Mas há três anos eu não podia imaginar isso acontecendo. E agora eu consigo acreditar. Mas foi difícil", disse o técnico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.