Perfeito, Bryant marca 52 pontos e Lakers massacra o Utah

Os mais de 19 mil torcedores que lotaram o Staples Center, em Los Angeles, na noite desta quinta-feira, presenciaram mais uma vez uma atuação de gala do astro Kobe Bryant. O ala/armador do Lakers teve sua melhor atuação na temporada e marcou 52 pontos na vitória sobre o Utah Jazz, o melhor time da NBA até o momento (13-4), por 132 a 102. Com o resultado positivo, o time californiano segue na liderança da Divisão do Pacífico, com 10 vitórias e cinco derrotas.O momento máximo de Bryant na partida aconteceu no terceiro período. O astro do Lakers resolveu tomar conta do jogo e foi perfeito em quadra ao marcar 30 pontos sem errar um único arremesso que fez - foram 9 em 9 com bola rolando e 10 em 10 em lances livres. "Me senti fenomenal, explosivo. Depois do que fiz em quadra hoje, acredito que cheguei à forma física que desejava para estar presente com a equipe", disse o ala/armador, que iniciou a temporada se recuperando de uma artroscopia no joelho durante as férias.Essa foi a 12ª vez na carreira que Kobe Bryant marcou mais de 50 pontos em um jogo. Sua melhor atuação aconteceu na temporada passada quando fez 81 pontos na vitória sobre o Toronto Raptors - a segunda maior pontuação em uma partida da NBA em toda a história da liga. Além do astro do time, o Lakers contou com a grande colaboração do ala Lamar Odom, que marcou 14 pontos, agarrou 11 rebotes e deu oito assistências.No outro jogo do dia, o setor ofensivo não foi o forte na vitória do Detroit Pistons sobre o Miami Heat por 87 a 85, na Flórida. Sem o pivô Shaquille O´Neal, ainda se recuperando de uma cirurgia, o atual campeão da NBA não conseguiu parar o ala/armador Richard Hamilton, que marcou 24 pontos para o Detroit. Com a sétima vitória seguida, o Pistons se consolidou na liderança da Divisão Central (10-5). O Miami, com apenas seis vitórias em 15 partidas, dependeu do armador Dwayne Wade, autor de 21 pontos, mas que errou os últimos dois arremessos que poderiam ter dado o resultado positivo para o time.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.