Kyle Terada-USA TODAY Sports
Kyle Terada-USA TODAY Sports

Pivô do Boston Celtics tem irmã brasileira e jogou 13 vezes os playoffs até chegar na final da NBA

Al Horford foi o cestinha da vitória sobre o  Golden State Warriors no primeiro jogo; segunda partida será neste domingo

Marcius Azevedo, O Estado de S.Paulo

04 de junho de 2022 | 14h00

Nenhum jogador entrou em quadra mais vezes na história dos playoffs da NBA antes de disputar uma final do que Al Horford. O pivô do Boston Celtics disputou 141 partidas no pós-temporada antes de ser o cestinha da equipe no triunfo sobre o Golden State Warriors no primeiro jogo da série. As duas equipes se enfrentam novamente neste domingo, outra vez no Chase Center, em San Francisco.

São 15 temporadas, sendo 13 participações nos playoffs, para o jogador que completou 36 anos na sexta-feira, um dia depois de anotar 26 pontos, com seis acertos em oito tentativas nas bolas de três pontos. O pivô pegou ainda seis rebotes e deu três assistências.  

O excelente aproveitamento de 75% se deu principalmente pela postura ofensiva da equipe. O Boston conseguiu trocar passes com velocidade e precisão necessária para que Horford pudesse arremessar sem ser contestado pela defesa do Golden State. "Quando você é lento na movimentação da defesa, ele (Horford) é outra ameaça que você precisa se preocupar", reconheceu Stephen Curry, astro dos Warriors, após perder o primeiro jogo da série em casa.

A caminhada de Horford na NBA começou no Atlanta Hawks, em 2007, quando foi escolhido na terceira posição. Foram nove temporadas na equipe da Georgia até ir para o Boston Celtics. O pivô ainda defendeu Philadelphia 76ers e Oklahoma City Thunder, sempre buscando chegar em uma final da liga, antes de voltar para o time de Massachusetts.  

Em Boston, o jogador conquistou os companheiros pela ausência de egoísmo, atuando em prol da equipe. Horford se tornou um líder do elenco, sendo muito próximo do técnico Ime Udoka. Além disso, o pivô tem contribuído com números consistentes, como fez no primeiro jogo com o Golden State. Na temporada regular, foram 10,2 pontos de média, com 7,7 rebotes e 3,4 assistências.  

IRMÃ BRASILEIRA

O que uma jogadora do Sport/Glória do Goitá, de Pernambuco, que participa da Liga de Basquete Feminino, tem em comum com Al Horford? Maíra Fernanda de Andrade Horford é filha de Tito Horford, que também é pai do pivô do Boston Celtics.

Com passagem por Milwaukee Bucks e Washington Bullets na NBA, Tito atuou no basquete brasileiro na década de 1990, quando defendeu Sírio e Suzano. No Brasil, ele conheceu Patrícia de Andrade, mãe de Maíra, que era jogadora de vôlei. A irmã de Al Horford nasceu em Jacareí, em 1995, nove anos depois do irmão, que é natural de San Felipe de Puerto Plata, na República Dominicana.

Atualmente no Sport/Glória do Goitá, Maíra Horford já defendeu São José, Ituano, Sesi e Santo André/APABA, além de atuar na República Dominicana. Foi lá, em 2021, que finalmente conheceu o pai, quando jogava no San Lázaro. Por influência de Tito, ela se naturalizou dominicana para jogar pela seleção do pai e do irmão.

"É um momento maravilhoso para ele e para toda a nossa família sem dúvida, eu não me surpreendi com o Al fazendo um excelente jogo na quinta-feira porque ele vem numa crescente muito grande nessa temporada, ajudando muito sua equipe e agora tenho total certeza que ele vai querer e já está ajudando ainda mais para eles conseguirem o título", afirmou Maíra, ao Estadão.

Maíra contou que conversa com o irmão sempre que possível, mas ainda não conseguiu conhecê-lo pessoalmente. "Isso (encontro) já estamos acertando", contou. "É um pouco difícil às vezes por causa da temporada dele, que é muito extensa. São jogos atrás de jogos e treinos atrás de treinos, ainda mais agora nas finais que ele se concentra ainda mais. Porém tudo que eu quero falar com ele, eu mando para o meu pai e ele passa ao Al."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.