Harry Aaron/ AFP
Harry Aaron/ AFP

Pivô do Cavaliers pede à NBA que considere seu temor de voltar a jogar

Larry Nance Jr. diz estar 'assustado' porque seu sistema imunológico está enfraquecido devido à doença de Crohn

AFP, O Estado de S.Paulo

18 de maio de 2020 | 22h00

O atacante do Cleveland Cavaliers, Larry Nance Jr., quer que a NBA considere os riscos adicionais que alguns jogadores como ele têm em seus planos de retomar a temporada.

O ala-pivô do Cleveland Cavaliers, Larry Nance Jr., reconheceu que está "assustado" por ter que voltar a jogar durante a pandemia de coronavírus porque seu sistema imunológico está enfraquecido devido à doença de Crohn.

O ex-jogador do Los Angeles Lakers espera que a NBA leve em consideração seus planos de retomar a temporada com os jogadores que enfrentam riscos adicionais à saúde diante da ameaça do vírus.

"Espero que haja um entendimento (da NBA) se alguém não se sentir confortável em voltar, que receba uma dispensa", disse Nance em entrevista à ESPN nesta segunda-feira.

"Embora você mostre uma imagem da saúde, algumas pessoas têm problemas que você não consegue ver", disse o jovem de 27 anos.

A NBA está suspensa desde 12 de março devido à pandemia de COVID-19 e, desde então, continua analisando diferentes possibilidades de retomar a temporada em um cenário em que os jogadores fiquem protegidos ao máximo do vírus.

Desde 8 de maio passado, a liga autoriza os treinos individuais sob rigorosas medidas de segurança. O Cavaliers foi um dos dois únicos times que no dia 8 de maio abriram suas portas para jogadores que voluntariamente queriam se exercitar, e Nance foi um deles.

A terapia seguida pelo pivô para combater a doença de Crohn, um tipo de condição inflamatória intestinal, permite que se jogue basquete profissional, mas enfraquece o sistema imunológico e o torna mais vulnerável a uma possível contágio do novo coronavírus.

Nance admitiu que estava "absolutamente aterrorizado" quando soube que o pivô de Utah Jazz, Rudy Gobert, havia testado positivo para o coronavírus - o caso que desencadeou a suspensão da NBA - porque ele o havia enfrentado recentemente.

"Somos jovens e você sabe o tipo de forma em que os jogadores estão. Você gostaria de pensar que (o impacto do vírus) não seria o que poderia ser para outras pessoas", disse Nance. "Mas você não sabe. Ainda estou com medo e não quero ser infectado".

Quando a liga foi suspensa, o Cavaliers tinha 19 vitórias e 46 derrotas, a segunda pior da competição depois do Golden State Warriors.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.