Pivôs têm 2 treinos para garantir vaga

Com a convocação dos pivôs Luís Fernando (2,10 m) e Baby (2,09 m), o técnico da seleção brasileira masculina de basquete, Hélio Rubens Garcia, terá apenas dois dias para avaliá-los e definir os dois cortes na equipe que disputará o 14º Campeonato Mundial, em Indianápolis, a partir do dia 29, quando estréia contra o Líbano. Os novos convocados farão apenas dois treinos e disputarão o amistoso contra a Nova Zelândia, no dia 27, já nos Estados Unidos, antes da definição, no dia seguinte, dos 12 que disputarão a competição. Os 12 jogadores que treinam em Ribeirão Preto encerram nesta quinta-feira os treinos no Pais e a viagem será no domingo. Hélio Rubens lamentou que o pivô Nenê, contundido, esteja fora do Mundial, mas aposta na união do grupo para voltar a ter um bom desempenho internacional. "A situação é atípica e emergencial e vamos avaliá-los em curto tempo, não tem outro jeito", afirmou o treinador, lembrando que o grupo atual, que treina há várias semanas, está correspondendo e pode até ser o definitivo para a competição. Mas a falta de um pivô torna isso improvável. "Teremos nove jogos em 12 dias e estamos capengas nessa posição", admitiu o técnico, que só trabalhou com três pivôs na reta final. Os jogadores da seleção brasileira fazem apenas um treino nesta quinta-feira, pela manhã, almoçam no CT do COC e voltam para casa, para dois dias de folga. No domingo acontece a viagem. Por precaução, Demétrius e Sandro Varejão não irão participar do amistoso na noite desta quarta-feira, contra a Uniara, em Araraquara, pois estão com dores musculares. Depois de perder Nenê, Hélio Rubens não quer correr mais riscos.

Agencia Estado,

21 Agosto 2002 | 17h18

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.