Prefeitura vai pagar metade da festa do Lakers

O prefeito da cidade de Los Angeles, Antonio Villaraigosa, declarou que a festa pelo título da NBA pelos Lakers, que começa às 15 horas (de Brasília) desta quarta-feira, não será toda custeada com o dinheiro público, e sim por colaboradores, que variam de donos de estabelecimentos comerciais a donos de rede de televisão hispânica.

ALAN RAFAEL VILLAVERDE, Agencia Estado

17 de junho de 2009 | 11h37

A celebração, que começará no Staples Center e terminará no Coliseu - estádio que sediou os Jogos Olímpicos de 1984 -, custará US$ 2 milhões (cerca de R$ 3,9 milhões), sendo que metade será paga pela diretoria do Lakers e a AEG, dona do ginásio que abriga, além do atual campeão da NBA, o Los Angeles Clippers, o Kings (time de hóquei) e o Sparks (time da WNBA).

A outra metade ficou por conta da prefeitura. Villaraigosa foi criticado por sindicatos por conta dos gastos em um momento crítico, já que Los Angeles sofre com demissões em massa e a explosão da bolha imobiliária, com mais de 200 mil casas tomadas por bancos..

Pressionado, Villaraigosa concedeu entrevista coletiva no centro de treinamento do Lakers, em El Segundo, para dizer que a prefeitura não terá de pagar US$ 1 milhão pela festa. "Nós vamos fazer de tudo para minimizar os custos da cidade. Se nós não tivéssemos a celebração, seriamos criticados por isso".

Segundo a prefeitura, o Lakers dá à cidade cerca de US$ 150 milhões (aproximadamente R$ 292,5 milhões) de lucro, e que a festa trará US$ 15 milhões ao comércio, principalmente com a venda de souvenirs.

Com a comemoração confirmada, a preocupação recai sobre as gangues da cidade. No domingo, após a conquista do Lakers, centenas de pessoas celebraram o título no centro da cidade de Los Angeles, em frente ao Staples Center.

O que era festa, no entanto, se transformou em caos. Carros e ônibus foram queimados e lojas saqueadas, além de brigas entre torcedores, que foram identificados como sendo membros de gangues. A polícia prendeu 20 pessoas e controlou o tumulto, mas agora está sob alerta para a celebração desta quarta.

Um dos heróis do 15.º título da equipe, Derek Fisher, pediu para que a torcida se comporte e comemore em paz. "Agora é hora de comemorar com responsabilidade. É uma vitória da cidade e que deve ser encarada como tal. Não tente fazer da festa algo pessoal, tentando estragá-la", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.