Divulgação
Divulgação

'Referência', Adrianinha quer liderar Brasil no basquete

Armadora está confiante que pode exercer a função de protagonista na seleção brasileira

AE, Agência Estado

19 de setembro de 2013 | 14h13

XALAPA (MÉXICO) - Sem poder ter ao seu lado a pivô Érika, que pediu dispensa da seleção para defender o Atlanta Dream nos playoffs da WNBA e hoje é tida como principal jogadora do basquete brasileiro, a armadora Adrianinha está confiante de que poderá exercer bem o papel de líder do Brasil, dentro de quadra, na Copa América do México que será realizada a partir deste sábado.

A jogadora de 34 anos é a mais experiente jogadora do grupo de 12 atletas que defenderão o País na competição que dá três vagas ao Mundial da Turquia, em 2014, e destacou nesta quinta-feira que está utilizando a confiança depositada nela como um fator positivo, e não como uma pressão extra. Ela, inclusive, lembrou que a responsabilidade de defender o Brasil é igual para todas as atletas comandadas pelo técnico Luiz Augusto Zanon.

"Mesmo sendo a mais velha, muitas vezes me sinto como uma estreante, porque cada vez que coloco a camisa da seleção é a mesma emoção e expectativa. Eu tento passar um pouco da minha experiência para elas, mas o peso da camisa é a mesma para todas, já que somos um time. Ser uma referência é uma motivação a mais para trabalhar", ressaltou Adrianinha, para depois projetar uma participação de sucesso do Brasil na Copa América, competição da qual se sagrou campeã invicta em 2009, em Cuiabá (MT).

"Acho que a equipe está bem preparada e vamos crescer a cada partida na competição. O objetivo é carimbar o passaporte para a Turquia e alegrar a torcida brasileira subindo no lugar mais alto do pódio", completou a armadora.

Curiosamente, Adrianinha é a única atleta do grupo de 12 que está em solo mexicano que já disputou uma competição classificatória para um Mundial de Basquete. E tentará liderar o Brasil rumo ao importante torneio na Turquia após ter sido medalhista de bronze na Olimpíada de Atenas, em 2004, e de bronze no Mundial de 2006, assim como já disputou três Pré-Olímpicos, em Cuba/1999, México/2003 e Colômbia/2011.

A estreia do Brasil na Copa América será neste sábado, quando pegará Porto Rico, às 20h30 (horário de Brasília), em Xalapa (MEX), pela primeira rodada do Grupo B, que também contará com a presença de República Dominicana, Argentina e México. As duas mais bem colocadas da chave avançarão às semifinais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.